sexta-feira, 11 de agosto de 2017

De novo, por fim, Edimburgo e o seu Festival


Talvez seja uma despedida, talvez não - o vôo directo agora é uma tentação, para um Festival que não é tão caro como outros (Salzburgo, Lucerne, Glyndenbourne) mas decorre numa cidade única, mágica, e costuma ter uma boa programação, com visita de grandes orquestras. Este ano só terei oportunidade de ver o Orfeo de Monteverdi dirigido por Gardiner com o Monteverdi Choir (que depois vai para Salzburgo), e mais umas coisitas ligeiras do Fringe que poderão ser engraçadas.

Um trailer do Orfeo de Gardiner no La Fenice:



Se o tempo o permitir, não queria perder as famosas Rosslyn Chapel e Melrose Abbey, que nunca cheguei a visitar.

Capela de Rosslyn
Interior

Rever as obras primas da National Gallery é um must: Boticelli, Cézanne, Corot, Degas, Gauguin, Manet, Monet, Seurat, Titiano, Van Gogh, Velasquez, Vermeer, Veronese... não falta lá ninguém. Na secção de Arte Moderna, também há Mondrian, Picasso, Lichtenstein...

Oliveiras, por Van Gogh, na National Gallery of Scotland

Até custa a acreditar que obras belíssimas como estas estão em Edimburgo !

Christ in the House of Martha and Mary, de Vermeer. Como ele retratava bem as mulheres ! O Cristo nem tanto...

Picasso, Mère et Enfant. Um esboço, duas cores, tanta beleza.


E por fim um pôr do sol inevitável em Calton Hill...

A 'Acrópole' de Edimburgo.

1 comentários :

Virginia disse...



Obrigada pelas dicas que são preciosas. Continue a postar fotos e indicações que eu só parto em 30/9.
Bons concertos e muito passeios.