segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Sutherland

A minha primeira impressão da Sutherland foi, tinha eu uns 30 anos, a interpretação do Messias de Händel, dirigida por Bonynge, sublime mas absolutamente não-historicamente informada. Que interessa? Cantava divinamente, como mais ninguém. Ouçam só a parte final.

Joan Sutherland - Rejoice greatly O daughter of Zion


obrigado para a eternidade , Dame Joan !

3 comentários :

Alberto Velez Grilo disse...

Cantava divinamente, como mais ninguém.

Viva La Stupenda

Gi disse...

Até eu gosto de a ouvir neste clip.

Mário disse...

Infelizmente há muitos registos sem qualidade que não lhe fazem justiça.