domingo, 17 de fevereiro de 2013

Tríptico de Santa Ana, na Matriz de Torre de Moncorvo

Encontrei na igreja Matriz de Torre de Moncorvo este belo retábulo em talha polícroma, de que não tinha qualquer referência.

É um tríptico flamengo datado dos inícios do século XVI (ou talvez finais do séc. XV) representando o Casamento de Santa Ana e a Sagrada Parentela.

Vista geral

Saido das oficinas de Antuérpia ao estilo tardo-gótico, este tríptico apresenta uma série de figuras em talha de madeira de carvalho, esculpidas em alto-relevo, policromas.

Placa informativa - e é tudo o que há...

Painel da esquerda: o casamento

Painel da direita: S. Joaquim com Santa Ana à entrada da Porta Dourada de Jerusalém.

 
Painel central: Santa Ana rodeada dos três maridos e restante Parentela, já no Paraíso, sem ciúme nem pecado...
'Santa Ana foi exaltada pelos humanistas a partir do século XV e largamente durante o século XVI, apontada como esposa ideal, opondo-se à feiticeira tentadora que leva o homem ao pecado'
in Relações culturais internacionais de Torre de Moncorvo (séculos XV-XVII) - Adriano V. Rodrigues e Maria da Assunção Carqueja

O tríptico está autenticado nas costas com sinais da corporação dos escultores de Antuérpia.

-------------------------------------
Foto de um postal da autoria de Luís Ferreira Alves (2011):


4 comentários :

Gi disse...

Muito interessante, Mário.

Paulo disse...

Estava aqui a pensar: se Santa Maria é a mãe de Deus, Santa Ana é a avó e São Joaquim seria (será?) o avô, não fosse dar-se o caso de Maria ter sido concebida sem pecado e de uma mãe virgem.

Paulo disse...

O retábulo é muito bonito. Desconhecia a sua existência.
Obrigado.

Mário disse...

E pensa muto bem, Paulo :) mas... onde isso nos levaria ! à fogueira, certamente.

Eram bem saudáveis, estes evangelhos apócrifos com gente cheia de humanos "pecados" mas sem culpa formada.

Ainda bem que gostou. Vou juntar mais um postalito ao post.

Mário