sábado, 26 de outubro de 2013

Queridos livros, fragatas para terras distantes


There is no Frigate like a Book 
To take us Lands away 
Nor any Coursers like a Page 
Of prancing Poetry – 

Emily Dickinson (1873)

Ná há Fragata como um Livro
Que nos leve a Terras distantes
Nem há Corcéis como uma Página
de altiva Poesia -

----------------------------------------------

É assim, nesta casa:


'No que me toca, sou incapaz de imaginar um mundo sem livros.'
Jorge Luis Borges

A prateleira de incontornáveis releituras. Desarrumados, mas eu sei deles.

Idem - na verdade sou feito destes, em boa parte.

'Ler é sonhar pela mão de outrem.'
Fernando Pessoa

Caos e fractais, entre a arte e a ciência.


Títulos tão bonitos e recheio tão generoso - aventuras, História, viagens, confissões.

Livros para ver pausadamente, ler é acessório.

Clássicos.

“Um clássico é um livro que nunca acaba de dizer o que tem para dizer".
Italo Calvino

Habitam a casa, belos, dominadores, omnipresentes, amigos. Há momentos em que indago que futuro será o deles. Talvez...





5 comentários :

Virginia disse...

Há calor nestas prateleiras ( parecidas com as minhas), é uma boa ideia fotografar este calor....

Benditos livros....nunca serão substituidos!

Bom Domingo!

Gi disse...

Hmmm... Alguns em particular aguçaram-me a curiosidade/ o apetite.

Mário Gonçalves disse...

Virgínia, substituídos não, mas que viagem será a deles? Who knows?

Gi, diga, se eu puder ser prestável cá estou :)

Gi disse...

Mário, fiquei curiosa principalmente a respeito de "An Equal Music" e "The Tenderness of Wolves". De que tratam?
(A minha intenção era ir à Amazon investigar).

Mário Gonçalves disse...

Gi, An Equal Music é um romance um pouco trágico, intenso, com o atractivo de se passar todo ele em ambiente de música e concertos - os protagonistas são músicos, e os locais Londres, Veneza e Viena. Pode ser melodramático, mas lê-se com gosto.

The Tenderness of Wolves está menos bem escrito, algo canhestro como obra de principiante que é; mas tão diferente de tudo o que li ... Uma aventura policial muito cinematográfica pelas planícies geladas à volta da Baía de Hudson, com suspense, situações inacreditáveis, descrição de um mundo que não conhecemos de todo - os nativos índios, a sobrevivência desesperada no deserto branco, os lobos claro, o comércio de peles, os entrepostos da Hudson Bay Company. E uma mulher de enorme coragem a correr contra o tempo.

Enviar um comentário