segunda-feira, 5 de junho de 2017

O tranquilo Tamisa que aqui se chama - the Isis !


A denominação celta 'Tamesas' foi romanizada como 'Tamesis',  e com o passar dos anos acabou truncada para 'Isis' entre Oxford e Dorchester; os estudantes mantêm com gosto o culto dessa tradição, apesar da actual ressonância antipática. The Isis é o curso de água onde os universitários remam, e foi nome literário do Tamisa para Carroll, C. S. Lewis, Phillip Pullmann...


É um rio vagaroso, gentil, de margens planas. A maior beleza é a do arvoredo em redor e reflectido. Passear nas margens não é nada de especial - nos poucos percursos pedonais de jeito abundam ciclistas apressados; é sobretudo um curso de água para prática de remo, e para uns poucos anti-sociais ou excêntricos é uma rua onde morar, numa daquelas estreitas barcas de canal típicas de Inglaterra, que também se encontram no afluente Cherwell





" The Isis " foi também o título óbvio de uma revista estudantil, generalista (mas tendencialmente mais dedicada a ensaios, poesia e opinião), moderadamente provocatória, excêntrica e humoristica. Nasceu na Universidade em 1892 ( o século XIX foi mesmo o século das inovações !) e está quase a atingir 2000 números. Um dos requintes é a apresentação criativa, ela própria obra de artes gráficas.
http://isismagazine.org.uk/
https://www.facebook.com/isismagazine/

Actualmente já não é um semanário, mas uma publicação de fim de termo lectivo, com um website.

Um exemplo do design (sempre diferente de revista para revista) é a apresentação do índice:





Páginas de poesia:


Um festa de design gráfico e irreverência.



Ao contrário daquela coisa repelente que dá pelo mesmo nome, por desgraçada coincidência, The Isis é um triunfo civilizacional. Viva o Isis !



0 comentários :