quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Exposição a não perder

"Bancos" são instituições que não me merecem grande simpatia, abençoado seja o dia em que não sejam mais precisos, ou seja, o dia em que o dinheiro deixar de existir.

Entretanto, vão alegremente coleccionando riqueza sob várias formas, a maior parte desinteressantes, mas alguma parte em obras de arte, com maior ou menor gosto. Bancos ainda por cima ligados à Opus Dei como este de que hoje falo são particularmente "experts" no investimento em Arte, com a argúcia de quem sabe escolher o melhor.

Está na Fundação Cupertino de Miranda, no Porto, uma exposição de parte do espólio de arte portuguesa do Millenium BCP. É um regalo: Silva Porto, Malhoa, Eduardo Viana, Amadeo de Sousa-Cardoso, Dórdio Gomes, Almada Negreiros, Vieira da Silva, Júlio Resende, Nadir Afonso, Cargaleiro, Júlio Pomar, Noronha da Costa e muitos outros de que gosto pouco {até Paula Rego! :( ] . Pintura portuguesa dos séc XIX - XX, começando na corrente naturalista. Uma visão panorâmica (embora não cronológica...) dos caminhos da pintura nos útimos anos.

Um só exemplar de cada, mas que bem escolhido! Sabem muito! Vale a pena ir e voltar.

Eduardo Viana - Cabeças de Mulher

Júlio Pomar - Tigre (detalhe) - um espanto!

Chamam à exposição "Arte partilhada". Não me importava nada de partilhar esta colecção.

1 comentários :

Paulo disse...

Já está a partilhar um bocadinho, Mário. Obrigado.
Mais um bom motivo para ir ao Porto.