quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Ti lascio ... ma torneró fra poco ! (J. A. Hasse)

Na sequência de alguns posts sobre compositores menos conhecidos, faço hoje homenagem a um grande injustiçado. Com imenso sucesso e muito popular na sua época, em várias cortes e salas de concerto da Europa, Johann Adolf Hasse é hoje demasiado ignorado e secundarizado, e merece ser bem mais ouvido e com atenção. Recentemente, gravações da grande Vivica Genaux, mezzo canadiana que muito admiro, deram destaque disperso à sua obra.

Johann Adolf Hasse (1699-1783) era um pouco mais novo que Vivaldi e Bach, e contemporâneo de C.P.E. Bach (1714 – 1788), Scarlatti (1685-1757), Gluck (1714 - 1787) e de Farinelli no seu apogeu, muito requisitado para cantar as suas árias de bravura.

Viveu em Nápoles alguns anos no início da carreira, e ali granjeou fama e popularidade, com obras cantadas por Farinelli. Scarlatti admirou a frescura criativa de Hasse e adoptou-o como aluno. O sucesso em Nápoles foi sempre crescendo, sobretudo no campo da ópera bufa.

Em 1731 mudou para Dresden, onde compôs já obras mais sérias, mas sempre viajou imenso para cumprir contratos - Nápoles, Veneza, Pesaro... foi também a Viena compôr para a corte a aclamada oratória Daniello.

Grande parte do sucesso deveu-se à sua grande amizade com o poeta Metastasio, que escreveu muitos librettos para as suas óperas e com quem Hasse tinha uma invulgar cumplicidade. Esta dupla era mesmo considerada "rival" de Gluck na reabilitação da ópera séria. Enquanto Gluck revolucionava dando primazia à teatralidade, Hasse manteve-se conservador, procurando o equilíbrio entre texto e música dentro dos parâmetros do bel canto italiano enquanto Metastasio insistia no lirismo Arcadiano. E é mesmo no lirismo da melodia que Hasse mais se distingue.

Hasse foi sempre muito querido nas cortes e salas de Itália, Áustria e Polónia. Mas foi a corte real de de Dresden que mais o acarinhou e protegeu. A passagem dos séculos é que lhe foi menos grata, e andou muitos anos ausente dos palcos e gravações. As suas óperas foram totalmente esquecidas.

Sonata para flauta em La (4 andamentos) - linda, elegante, subtil.
L. Dean e C. Aherns-Dean, flauta
Hannoversche Hofkapelle



Uma alegre sinfonia em Fa - saliento o nº 2, andante, aos 2:00 min
Musica Antiqua Köln
Reinhard Goebel



Hasse: Cleofide (Abertura) - aprecio a 3ª parte, aos 5:30
Les Talens Lyriques, dir: Christophe Rousset



L'Armonica , Cantata para soprano & harmónica de vidro
Ensemble Stradivaria / Daniel Cuiller



Salve Regina, para contralto masculino
Contratenor: Marten Engeltjes
Ensemble B'Rock, dir. Rodolfo Richter



Ária "Pallido il sole" da ópera Artaserse
com um excelente Andreas Scholl



Vivica Genaux - também do Artaserse de Hasse,
Per questo dolce amplesso
,
que Farinelli cantou na estreia, em Londres.
Akademie fur Alte Musik Berlin, dir. René Jacobs



E uma obra prima:
Vivica Genaux canta, do Arminio de Hasse, Ti lascio in ceppi avvinto ma tornerò fra poco



"I leave you bound in chains, but I shall soon return"

2 comentários :

Enviar um comentário