domingo, 13 de outubro de 2013

Julia Lezhneva, de Yuzhno-Sakhalinsk
(no extremo oriente da Rússia)


Julia Lezhneva virá em Abril à Gulbenkian cantar Handel.

Com formação de canto e piano em Moscovo, a soprano de agudos doces chegou à nossa Europa em 2008, no festival de Pesaro, apadrinhada desde os 18 anos por Marc Minkovsky que de imediato reconheceu o promissor canto da Lezhneva. Ouvi-a na ilha de Ré a cantar Mozart , justamente com Minkowsky.

Mas o que mais me traz a fazer este post é ter sabido do local onde Julia nasceu e viveu a infância até aos 7 anos: a cidade de Yuzhno-Sakhalinsk, 190 000 habitantes, no extremo oriente da Rússia - a maior cidade da Ilha Sakhalin, tão próxima do Japão que até já lhe pertenceu. Dada a riqueza étnica da região, é mesmo provável que Julia Lezhneva combine genes russos da Sibéria com genes de origem coreana ou nipónica, como a maioria da população.


Julia Lezhneva nasceu em 1989, numa família de cientistas. Aos cinco anos já tinha começado a cantar no côro da cidade. Como será, Yuzhno-Sakhalinsk ?

Cidade isolada, perdida nos confins do mundo, sem vivência cultural que mereça esse nome, é ainda por cima feia do urbanismo soviético (os blocos pré-fabricados de 4 andares) e da extracção intensiva de carvão, petróleo e gás na ilha Sakhalin - a 'Sakhalin Oil and Gas' é uma mina de ouro negro para a Shell, e uma terrível fonte de poluição na ilha.

Mesmo assim, nos últimos anos de riqueza emergente da zona Ásia-Pacífico, alguma coisa vem melhorando no triste ambiente urbano de Yuzhno-Sakhalinsk.


Um hotel ocupa um dos edifícios renovados da cidade.

Igrejas, são todas recentes (mesmo que construídas ao estilo antigo) :

- a Catedral Ortodoxa da Ressurreição:

- a igreja ortodoxa de S. Nicolau, construção tradicional em madeira de 2005:

Museus, vários, como é costume na Rússia, mas salientam-se:

- O Museu Chekhov de Artes e Letras:


- O Museu Regional de Sakhalin, num restaurado edifício japonês de 1937, que é o que resta de herança arquitectónica desses tempos de ocupação:


- O Centro Chekov, teatro e sala de concerto, onde se costuma apresentar o côro de Sakhalin:

Deste berço improvável nasceu a voz angelical da Lezhneva !

----------------------------------------

Talvez o concerto de Lisboa inclua, de Handel, este
Saeviat tellus (Mottetto) O nox dulcis
Julia Lezhneva, soprano
Il Giardino Armonico, dir. G. Antonini


ou melhor ainda, este
Da tempesta, do Giulio Cesare
com a Helsinki Baroque Orchestra

(só espero que a orquestra esteja mais bem afinada, não é ? )

5 comentários :

Enviar um comentário