quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

La Clemenza no Calderón de Valladolid / 2014


Do que eu gostava, era de ir passar quinze dias ou um mês para Salzburgo durante o festival, com bilhetes de primeira para tudo e passeios de verão pelo Tirol.

Mas arruinava qualquer hipótese de outras escapadas durante o resto do ano. E ficar um ano em casa não é opção.

Bom, portanto, vou arriscar ... Valladolid ! A 4h de viagem, um pouco mais longe que Lisboa mas muito menos que Madrid, vai estar La Clemenza di Tito, produção do Teatro Real de Madrid, que já foi ao Festival Mozart da Corunha dirigido por Fabio Biondi, e estreia agora no Teatro Calderón no fim de Janeiro:

O director cénico é Marco Carniti; uma encenação minimalista, moderna mas poupada, pouco mais que uma escadaria para todo o serviço, foi contudo um êxito em Madrid.

Em Valladolid toca a local Orquesta Clasica Europea, que nunca ouvi. Vivica Genaux será Sesto, e espero um Sesto de alto nível.

Aqui fica o Sesto de Vesselina Kasarova:
Parto ma tu ben mio


Non piú di fiori, aria de Vitellia, canta Dorotea Röschmann




Valladolid tem outros motivos de interesse:

A bonita igreja românica de Santa Maria La Antigua (séc. XI)

E o castelo único de Peñafiel...

Preciso de projectos, não consigo estar frente à TV a ver o tempo passar. Este é o meu projecto para iniciar 2014.

2 comentários :

Paulo disse...

Parece-me boa ideia.
Vi a Röschmann como Condessa nas Bodas em Berlim, há uns dois anos, e gostei muito.
A Vivica também a vi em concerto no CCB e gostei, mas isso já foi no tempo em que os animais falavam, quando a PT ainda financiava concertos.

Mário Gonçalves disse...

Assim espero, Paulo.

[ Agora, a financiar, é fado, bandas militares e enchidos regionais. ]