quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Mundo espantoso: a cordilheira Torngat, ao norte do Labrador


'Descobri' há pouco, na net, esta cordilheira do outro lado do Atlântico, na península do Labrador, já pertinho da Gronelândia. Aliás, os dois territórios são muito próximos pela Geografia: nascidos da mesma placa tectónica, separaram-se no Cretácico, são o mesmo tipo de terreno - montanhas, intercalando fiordes e tundra. São também próximos na História humana, pois os Vikings na sua assombrosa epopeia náutica passaram pela Gronelândia e chegaram ao Labrador, e foram mesmo ainda mais além até à Hudson Bay; e as missões Moravianas que no século XVIII partiram da Europa para  "enquadrar" e cristianizar os chamados esquimós seguiram a rota Viking, também para a Gronelândia e o Labrador !

O que eu pretendo é mostrar o espantoso panorama da Cordilheira Torngat; é trivial dizer que parece de outro mundo, suponho que se lá pudesse ir, tanto em visita aérea como trilhando os vales fluviais, sentiria o arrepio de ter mudado de planeta.

Falta aqui o som, ou melhor, o silêncio ampliado talvez pelo silvo do vento, falta respirar o ar e a espacialidade, ver o tempo a passar nas nuvens e na luz, uma águia lá em cima, um caribu em baixo. Mesmo assim...

Nachvak - o rio, lago e fiorde que mais marca o território da 'Torngat Range'.

Estamos pelos 58-59º de latitude norte. Ainda longe do Ártico, mas já não há árvores.

O nome Torngat deriva da palavra Inuit Torngait, "o lugar dos espíritos". Percebe-se porquê.

Fiorde de Nachvak


Mount Caubwick, ou Mont d'Iberville, 1652 m, o mais alto:





Os rápidos do rio Nachvik:
Kayaking extremo...


Rio Nachvik

Ninguém num raio de cem quilómetros. Eu até sou um homem da cidade, da cidade europeia sobretudo, adoro visitar cidades, acho-as todas diferentes e quase todas interessantes. Terem todas a mesma zara, pizzahut ou cadeia hoteleira não me afecta, são detalhes, de resto é quase tudo diferente, variado, torres, arcos, praças, vielas, portas e janelas, pontes, rio ou mar; terem os mesmos jovens no banco do autocarro agarrados ao telemóvel é também um detalhe passageiro, de resto quase todos os hábitos são diferentes, desde a sesta ou não, o cumprimento obrigatório ao entrar ou a indiferença, a hora de ponta ou a mansidão das seis da tarde, a maior ou menor abundância de livrarias, gente nos cafés a ler ou conversar, a noite animada ou tudo a fechar cedo, pandemónio de trânsito ou ruas pedonais e ciclistas, avenidas arborizadas de passeios largos ou ruas estreitas de passeios estreitos, picadeiros de casais com carros de bébé, jovens a saborear gelados no Inverno, os copos de pé na rua ou ruidosamente de pé ao balcão, os cinemas e teatros no centro com fila à porta, a iluminação nocturna e seus reflexos, o som dos relógios e sinos e dos eléctricos nos carris, o aroma ambulante de frutos do mar, carnes grelhadas, fumados, doçaria. Não há duas cidades iguais.

E contudo cansa, ver gente, gente, gente de mais. Os humanos cansam, mais ainda quando se ouvem e vêem noticiários. Nesses momentos, anseio por uma cabana na Cordilheira de Torngat.


Um bom sítio para depois da vida ?


----------------

Bem, não menti mas quase. Afinal, uns 100 km a sul de Nachvak Fjord, há uma antiga Missão Moraviana* em Hebron, na costa leste do Labrador, nas faldas marítimas dos montes Torngat. Gente, portanto.

Mapa das Missões Moravianas no Labrador. Killinek, Ramah e Hebron estão na região da Cordilheira Torngat.

Fundada em 1830, é uma entre muitas criadas na península por missionários centro-europeus da região (checa) da Morávia para fixar e enquadrar as populações ditas "esquimós", sendo depois aproveitada pela Hudson Bay Company para criar um entreposto e utilizar a mão de obra lá fixada.

Hebron no século XIX.

Livro de cânticos alemães traduzidos para a língua Inuit, encontrado na Missão.

Tinha igreja, escola, cantina, hospital, celeiro, armazém, alojamento e serviço postal; chegou a albergar, além dos missionários, 50 Inuit, até que a congregação decaiu, em 1926, e Hebron foi transferida para os negócios de peles da HBC. Finalmente abandonada em 1959, entrou em ruína até há pouco, tendo sida restaurada como "National Historic Site" com uma presença mínima de pessoal inuit ligado à gestão do Parque Natural das Torngat.


Não incomoda. Há sempre uma página de História, mesmo nas paragens onde menos se espera !


----------------------------
* Igreja de filiação luterana que apregoa a piedade, o estudo dos textos sagrados, a oração e o canto religioso, "Herrnhut" ou "Unitas Fratrum" (séc. XV) foi uma das mais antigas,talvez a primeira, comunidades protestantes; tendo alastrado para Norte, foi a partir da Dinamarca que os missionários partiram para os territórios árticos da Gronelândia, e daí para o Labrador, atraídos pelas notícias trazidas dos primitivos povos 'esquimós' (expedição do Beagle, 1830).
"Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura”, dizem as Escrituras. E eles foram.

0 comentários :

Enviar um comentário