quarta-feira, 27 de julho de 2011

Visita à National Gallery de Dublin



8 comentários :

Paulo disse...

Ohh! (para os que estavam em digressão)

cristina simões disse...

Fantástica ideia para os que ficaram. Obrigada

Gi disse...

E deixam tirar fotos, pelo que vejo, ao contrário de outros museus. Good for them!

Mário disse...

Não "deixam" não, Gi, mas em sítios onde só irei uma vez na vida acho que tenho direito moral de fazer batota. Tiradas à socapa, numa segunda visita, depois de "estudar" a vigilância.

Onde é totalmente impossível é na biblioteca do Trinity College. Credo, que feras! Ao meu lado, obrigaram um desgraçado a apagar a foto acabada de fazer. "Erase it! now!" sem please nem nada. O único irlandês bruto a quem me apeteceu dar um murro. Devia ter jeito para pide.

Gi disse...

Detesto essas políticas contra as fotografias. Aceito que não se possa usar flash, mas de resto não entendo, parece-me uma prepotência.

Mário disse...

Concordo.

Ah, e nem todas as fotos são minhas,no powerpoint

Joana disse...

Muito bonito, Mário!È sempre um gosto ver as suas reportagens.
Existe um belo quadro de Millet que tem também por tema as respigadeiras (les glaneuses). Pelos vistos, era um tema comum na época. A obra de Millet é mais sóbria, com aquela atmosfera própria, a luz coada, os tons pastel, os corpos contorcidos, poucas figuras.Lindíssimo!

Mário disse...

Bom tê-la de volta, Joana.

Conheço o Millet, mas acredite que este Jules Breton é uma pequena maravilha. Fiquei longo tempo a olhar para ele: a observação e o detalhe nas atitudes das pessoas, o colorido...