sexta-feira, 6 de abril de 2012

Pascal

Não pode haver Páscoa sem Bach, então assim seja, subtil e intensa como uma flor de Abril ou um ribeiro no degelo:

András Schiff, suite francesa Nº 5, BWV 816

1

2

3

4

5

6

7


Bom fim de semana (pascal)

1 comentários :

Virginia disse...

Quando li o titulo da entrada pensei que o Mário se tinha dedicado à Física e que ia explicar-nos algo sobre o célebre fisico francês.
Afinal era um adjectivo que vem ao encontro da minha nostalgia da época. Bach é o expoente máximo desta saison e expressa como mais nenhum compositor a mística e até a liturgia da Semana Santa.
pena não poder ouvi-lo em t Martin in the Fields ( como me aconteceu em Setembro à luz das candlelights)! Mesmo assim é bom oferecerem-nos música de mão beijada...desta música que nunca cansa.

Uma Boa Páscoa para si também!