domingo, 10 de junho de 2012

Hermanos


Era há pouco voz comum "Espanha está na moda", "Espanha caso de sucesso".

Que raio de tempo histórico é este em que países de sucesso passam directamente à bancarrota em poucos anos ? Não haverá claro exagero, quer no diagnóstico de sucesso, quer no de bancarrota?

Porque no fundo, no fundo, está tudo na mesma. Somos todos Europa rica ( e não Albânia), vivemos todos muito melhor do que se vive na América Latina ou na Ásia. Pagamos e enchemos festivais caros de música pop, campeonatos caros de futebol.

O desemprego enorme é uma tragédia, claro. Mas algum desempregado nosso preferia a Colômbia? O Quénia ?

Há gente a enriquecer desmesuradamente. Imoralmente. Não houve sempre?

Há uma grande desigualdade entre o Norte e Centro da Europa e nós, os periféricos PIGS. Não houve sempre? E porque nos hão de ajudar a nós em vez de ajudar África - quem se atreve a dizer que Irlanda ou Itália são países pobres ?

Gritaria a mais, me parece. Que cada país faça trabalho sério e haja cooperação onde pode e deve. De resto, tudo na mesma.

O restaurante onde costumo ir estava apinhado, ruidoso, muitas famílias, fila de espera e muito marisco e garrafas de vinho nas mesas. "Dia em cheio, não, Marco?" disse eu. " É a crise!", respondeu.


Mire vuestra merced,” respondió Sancho, “que aquellos que allí se parecen no son gigantes, sino molinos de viento"

1 comentários :

Gi disse...

Oxalá tenha razão, Mário, mas eu não sei o que lhe dirão os desempregados de longa duração que ficaram sem subsídio de desemprego (ou nunca o tiveram, por serem patrões).
Parece-me que comparar a nossa situação à do Quénia ou da Colômbia é um bocadinho injusto, porque nunca antes fomos comparáveis e não queremos ser. Pelo menos nivelados por eles.

Não será assim?

Enviar um comentário