sábado, 18 de maio de 2013

Viagens Imaginárias ao Ártico
- A derradeira fronteira norte da Europa: Ny Ålesund


Já aqui falei de últimas fronteiras da Europa - a Nordeste, as ilhas Novaya Zemlya da Rússia; Hamningberg, no extremo continental a Norte ; e a Leste, a grandiosa Kazan, antes dos Urais.

Hoje vou por aí acima direito ao Pólo, e a última paragem em terra firme é nas ilhas Svalbard; referi também já noutro post a capital Longyearbyen e a sua Global Seed Vault, hoje vou ainda mais acima : Ny Ålesund é a povoação mais setentrional da Europa, talvez do mundo; começou como local de exploração mineira, passou a estação científica e escala de aventuras de exploração polares, hoje é permanentente habitada e ... destino turístico.

Ny Ålesund fica na costa NW da ilha Spitzberg, a maior das Svalbard.

Ny Ålesund é habitada por mais de 30 residentes, que são na maioria cientistas das diversas instituições e pessoal auxiliar e administrativo da empresa de logística 'King's Bay'.

Nos meses mais soleados,  o pessoal sobe até uns 120 residentes, e ainda recebe visitas por vezes numerosas de viajantes de cruzeiro.


Situada a  78º 56' N, na margem de um fiorde chamado Kongsfjord (King's fiord), começou por ser uma aldeia mineira do carvão, e até 1962 chegou aos 400 habitantes. Mas depois de um trágico acidente, as minas fecharam e a estação dedicou-se à investigação científica, aberta a todas as nações interessadas.

O 'Kongsfjord', que benefecia do degelo de dois grandes glaciares.

Da sua localização resultam alguns recordes tipo "Guinness do Norte", como o combóio, o hotel e o posto dos correios mais setentrionais. E para visitantes também há uma loja de souvenirs e um museu, mais outros dois recordes nórdicos ! E até a estátua mais próxima do pólo  - o busto de Roald Amundsen, o explorador norueguês, herói nacional.


O muito fotografado posto de correios; por trás vê-se a 'Amundsen Villa', residência do explorador  durante a sua estadia.

Nenhum visitante deixa de escrever um postal para casa.

O que resta do combóio que servia as minas:

Busto de Amundsen  e Hotel NordPol :

Ny Ålesund é muito procurada como base para estudos polares. Depois da China e da Coreia, também a Índia abriu  uma estação em 2008. São já 11 países a participar em projectos, sendo os mais antigos a base Dirigibile Italia, as da Noruega e Reino Unido e a base Franco-Alemã.

Vista aérea do centro

Mas o grande acontecimento histórico ligado a Ny Ålesund é o vôo do dirigível "Norge", a primeira expedição polar por via aérea.



De Ny Ålesund ao Pólo Norte

Mastro de amarração do 'Norge', no Kongsfjord.

O "Norge" (Noruega), um dirigível fabricado em Itália, foi a primeira aeronave a voar sobre o Pólo Norte e a calote polar entre a Europa e a América. A expedição foi comandada por Roald Amundsen, e pilotada pelo italiano Umberto Nobile que tinha desenhado o Norge.


O Norge tinha sido projectado para as condições do Ártico: estrutura de metal reforçada à popa e à proa, quilha em tubos metálicos flexíveis, três motores, velocidade máxima de 115 km/h e potência 780 Hp/582 kW.

O vôo partiu de Roma em  29 de Março de 1926, via Oslo e São Petersburgo, até à cidade de Vadsø, no norte da Noruega, onde ainda existe o mastro de amarração. Depois a expedição atravessou o mar de  Barents até Ny Ålesund onde, a 7 de Maio, o dirigível aportou no mastro erguido no Kongsfjord.

O 'Norge' em Ny Alesund

A última etapa através do gelo polar começou na manhã de 11 de Maio, com 16 homens a bordo incluindo Amundsen, Nobile, e o patrocinador Lincoln Ellsworth.

A 12 de Maio avistaram o Pólo, e foram lançadas três bandeiras - da Noruega, da América e da Itália -  sobre o local. Soube-se mais tarde que tinha havido zanga a bordo quanto ao tamanho das bandeiras - a italiana era muito maior, apesar do combinado; Nobile tinha ludibriado os colegas. Amundsen escreveu no bloco de notas que às 02:20 da manhã sobrevoaram o Pólo, a  200 metres de altura e com -11º C de temperatura. Fez há pouco 88 anos !

No regresso, as incrustrações de gelo cresceram de forma alarmante, de tal forma que pedaços que se soltavam eram soprados pelas hélices contra o casco, onde começaram a surgir furos. Nobile queixou-se de haver muitos buracos para reparar, mas felizmente sem fugas de gás. Sob nevoeiro cerrado e  ventos tempestuosos, o Norge só conseguiu aterrar, sem grandes dificuldades, a 14 de Maio, no Alasca, numa aldeia inuit perto da cidade de Nome.

 Fim de viagem em Teller, no Alasca.

Da aventura ficou este mastro de amarração, monumento à travessia com êxito do Pólo Norte,  erguido em Ny Ålesund.


Fontes:

http://www.fiddlersgreen.net/models/Aircraft/Norge-Airship.html
http://dev.cruise-handbook.npolar.no/en/kongsfjorden/ny-alesund.htmlhandbook.npolar.no/en/kongsfjorden/ny-alesund.html


É possível tomar café a 79º de latitude, numa esplanada com vista para o fiorde, as montanhas geladas e o mastro do 'Norge' ?


É o  Mellageret Café, Ny Ålesund, Ilhas Svalbard.

E até numa esplanada ao sol da meia noite...

Ah, Europa, Europa !

0 comentários :

Enviar um comentário