domingo, 20 de abril de 2014

Julia Lezhneva na Gulbenkian, já nesta terça.


Já aqui escrevi sobre esta soprano russa, nascida no extremo oriente da Sibéria, e que é uma das melhores vozes no canto barroco da actualidade, com incursões também conseguidas em Mozart e Rossini. A voz tem vindo a ser temperada com a idade, espero ouvi-la menos agreste do que há anos atrás em Ré, embora o seu último CD não seja totalmente convincente.

Na Gulbenkian, vai cantar obras de Handel. Talvez não esta, infelizmente, que aqui fica pela sua beleza e adequação à época pascal:

Handel, "O nox dulcis...", Julia Lezhneva


Aqui um extracto da mesma mas registado ao vivo:


A Lezhneva vem preciosamente acompanhada por uma das orquestras barrocas irrecusáveis, a de Helsínquia, dirigida por Aaapo Häkkinen. Alguma expectativa portanto para ouvir as obras instrumentais de Handel numa interpretação de alto nível.

A acreditar no site da orquestra, será esta a sequência:

• Sonata (Resurrezione, HWV 47) ****
• Disserratevi, o porte d'Averno! (Resurrezione, HWV 47)
• Concerto grosso B-duuri, op. 3/2 (HWV 313) **
• Salve Regina (HWV 241)
• Ouverture (Clori, Tirsi e Fileno, HWV 96)
• Ouverture (HWV 341) *****
• Marche (HWV 416) **
• Sonata (HWV 302b)
• Passacaille (Rodrigo, HWV 5)
• Sonata (Resurrezione, HWV 47)
• Prelude (Agrippina, HWV 6)
• Un pensiero nemico di pace (Trionfo del Tempo e del Disinganno, HWV 46a)
• Ouverture (Agrippina, HWV 6)
• Pensieri, voi mi tormentate (Agrippina, HWV 6)
• Come nembo che fugge col vento (Trionfo del Tempo e del Disinganno, HWV 46a)

Mais aqui .

-------------------

E finalmente a visita aos Tesouros do Kremlin e dos Czares do Oriente.


2 comentários :

Enviar um comentário