domingo, 22 de junho de 2014

Ré nature


Et voilá
, a minha iniciação como repórter da N.G. na ilha de Ré :)
A minha compacta low cost, levezinha, é que tem muitas limitações, do fotógrafo nem se fala. Mas dá uma ideia.

Os 'marais salants' são uma das principais fontes de rendimento da ilha. Além do valor económico, constituem também um ecossistema em si, frequentado por várias espécies de aves.

A pequena e muito esquiva garça branca (egretta garzetta) :


Espantoso foi um bando que passou em voo raso ao meu lado: o som de todas as asas em uníssono, zum-zum-zum, a cortar o ar, era impressionante. Parecia uma frota de jactos de nova geração... drones ? ;)

Com outra máquina teria ficado maravilha.

E esta é o pernilongo das salinas, de asa negra (échasse blanche - Himantopus himantopus), no seu ecossistema ideal.




Sou capaz de ainda pôr aqui qualquer coisa mais sobre Ars e outras vilas da ilha. Fica para já um cheirinho dos prados floridos e das famosas Roses Trémières.

As papoilas já eram raras.

Um tufo delas é uma alegria.

Rosas tremedeiras; são como as hortênsias nos Açores: por toda a parte. Lindas.

A torre sineira de Ars lá ao fundo, água é o que não falta, dentro e à volta da ilha. Waterworld.

Pronto, de fauna e flora chega por hoje :)



3 comentários :

Fanático_Um disse...

Lindíssimas as fotografias, apesar de achar que a maquina está aquém do desejável.

Gi disse...

Estão muito bonitas, Mário.
Já descobri há uns anos que as máquinas fotográficas como deve ser, com as lentes que sonhamos, não dão jeito nenhum para viagens.
Por isso, hoje em dia, viva o telemóvel: não tem grande definição, não permite grandes ajustamentos, mas fica a impressão e a memória.

Paulo disse...

Também estou a gostar muito da foto-reportagem. Continuação de boas férias, Mário.