sexta-feira, 24 de junho de 2016

A casa de Marques da Silva, o arquitecto que moldou o Porto


Decorreu no fim de semana passado no Porto a 'Open House' 2016, em que alguns edifícios ou locais de interesse arquitectónico abrem as portas ao público. Desta vez fui visitar, na Praça do Marquês, o prédio onde viveu o arquitecto Marques da Silva. É uma construção de 1909 que por fora se integra ainda na tradição portuguesa - alpendres, telha de barro, escadas exteriores cobertas, janelas com portas de madeira, varandas com trabalho decorativo em ferro forjado, algum azulejo ou figura de pedra decorativa - mas com a inovação que Marques da Silva procurou trazer, de influência francesa, que se nota muito mais no interior.

O que mais impressiona é a distribuição da luz por espaços não muito amplos, usando sabiamente janelas, varandas e clarabóia. O efeito é conseguido também pela grande liberdade de circulação - para ir de uma divisão a outra há sempre dois ou três percursos alternativos, recorrendo a muitas portas, pequenas divisões intermédias, curtos corredores. Tanto a luz como os habitantes podem variar nos caminhos que tomam. É uma casa cheia de bifurcações, talvez J. L. Borges dela gostasse !

Casa Atelier Marques da Silva (1909)
Praça do Marquês de Pombal, Porto


O espaço mais nobre do 1º andar.

Uma bela entrada de luz pelo lado sul.

Detalhe da divisão nobre com vista para o jardim.

Porta (detalhe)

Uma das passagens possíveis entre a frente e as trazeiras.

Varanda cénica para a Praça do Marquês.

Um dos espaços de trabalho do arquitecto.

Uma das duas escadarias ondulantes que sobem ao 1º andar. Há música nesta arquitectura.

Placa de luz sob a clarabóia.

Trazeiras, a dar para o jardim.


Uma grade de varanda, de novo com ritmo musical :)


Marques da silva faleceu nesta casa em 1947. Deixou uma herança vasta na paisagem da cidade, que faria escola durante décadas, e modelou uma parte substancial da fisionomia da "baixa", reconfigurando o Porto moderno como um centro de serviços com novo aparato simbólico,

Algumas da principais obras:

- Estação de São Bento (1896-1916), na Praça de Almeida Garrett, com o famoso painel de azulejo.
- Teatro Nacional S. João (1910-1920), na Praça dom a Batalha, no Porto
- Galerias Palladium (1914-1927), esquina da Rua de Santa Catarina com Passos
Manuel, no Porto
- Edifício das Quatro Estações (1905), na Rua das Carmelitas, no Porto:


- Edifício da Companhia de Seguros "A Nacional" (1919-1924), na Avenida dos Aliados:

- Liceu Alexandre Herculano (1914-1931), na Avenida de Camilo.
- Casa e Jardins de Serralves (1925-1943), na Rua de Serralves, talvez a sua obra-prima !


2 comentários :

redonda disse...

Moro perto e já passei por lá inúmeras vezes. Gostei muito das fotografias.

Gi disse...

Gosto muito da casa. É um estilo que me encanta.