segunda-feira, 27 de junho de 2016

Dunas e paliçadas ao pôr do sol, com poema de Frost.


Nete início de Verão estavam limpas e bonitas as dunas - a sua cobertura vegetal e as paliçadas de protecção.

Castelos na areia...





Lembra-me um poema de Robert Frost, 'Sand Dunes'.

Sea waves are green and wet,
But up from where they die,
Rise others vaster yet,
And those are brown and dry.

They are the sea made land
To come at the fisher town,
And bury in solid sand
The men she could not drown.

She may know cove and cape,
But she does not know mankind
If by any change of shape,
She hopes to cut off mind.

Men left her a ship to sink:
They can leave her a hut as well;
And be but more free to think
For the one more cast-off shell. 

                                                Robert Frost

Tentativa de tradução (não conheço nehuma) :

As ondas do mar são verdes e molhadas
Mas acima de onde elas morrem
Outras se elevam ainda mais vastas
E essas são castanhas e secas.

São a terra que o mar constrói
Para a vila de pesca alcançar
E sepultar em sólida areia
Os homens que não pôde afogar.

Ele conhece bem baías e cabos,
Mas nada sabe dos homens
Se por alguma diferente forma,
deseja amputar-lhes o ânimo.

A ele, os homens dão o barco a afundar
Também lhe podem deixar a cabana.
Serão mais livres ainda para pensar
noutra concha mais na praia rejeitada.





1 comentários :

Enviar um comentário