quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Visita a Joan Miró em Serralves, † BPN


Depois da romaria inicial, pude enfim ir à Casa de Serralves ver as obras de Miró da colecção do ex-BPN que pelos tortuosos acasos da vida ficaram - parece - ao cuidado da autarquia do Porto. Provavelmente teremos estar gratos a um enorme conjunto concorrente de circunstâncias - ambição e falência do BPN, Christie's, Estado português, Parvalorem, Rui Moreira, e sei lá quem mais. Fico baralhado, mas tamanha confusão ao fim e a cabo produziu algo que me apraz saudar: obras de Arte do grande Joan Miró na geralmente tacanha e provinciana cidadezita onde moro. Vivam as trapalhadas, então.


Lá em cima , 'Toile brûlée',1973

Não é uma colecção, já se sabe; o BPN, com a mania das grandezas associada à má gestão, adquiriu entre 2000 e 2006 um "fundo de stock", talvez para abrir um museu BPN em Portugal. A sorte (para mim) é que inclui obras do melhor período de Miró.

A abrir:

' Tête', 1937


Uma das mais notáveis é esta obra, utilizada no folheto e na publicidade:

'Le chant des Oiseaux à l'Automne', 1937

'Personnage et étoiles dans la nuit', 1965, vale milhões.

'Peinture', de 1936, outra que vale milhões. Gosto, mas pouco.

'Personnage et oiseaux', 1965. Adoro. O traço a sobrepor-se às manchas de côr numa dinâmica de fantasia, quase bailado.

e o meu favorito:

' Signes et figurations', 1935



------------

Que balanço? As melhores safras são dos anos 30 e dos anos 60. Cinco ou seis magníficas obras de arte que felizmente cá ficaram, o resto bem se podia ter vendido.

Agora, os toques de vinagre.

O tão gabado trabalho do Siza parece, como quase sempre, de uma grande vulgaridade. Tapou as janelas com cortinas, óbvio, e mandou fabricar uns painéis, olha a grande coisa, não ia estragar as paredes. É que não se vê mesmo que pudesse ser de outra forma. Mesmo assim, há salas onde os reflexos são de mais e a luz de menos.

Uma irritação, grrrrr, aliás duas: essa coisa de "os Mirós", por favor, que tuga. Alguém diz os Paulas Regos ? os Miguel Ângelos? os Rafaeis? os Da Vincis ? falámos de quê, da família? Se querem abreviar, é os Miró.

Pior, sim ainda piorrrr, é a história do 'catalão'. Miró é um pintor ESPANHOL, essa é a sua nacionalidade de facto, àgora catalão. Ou vamos dizer o beirão Cargaleiro, o sãotomense Almada Negreiros? Hergé, autor de BD valão ? Brel, chanteur flammand?

diz a Wikipedia: 
Joan Miró i Ferrà (...) was a Spanish painter, sculptor, and ceramicist born in Barcelona.
Joan Miró i Ferrà  (...) fue un pintor, escultor, grabador y ceramista español.

e muito bem

O artigo do Expresso é particularmente irritante nestas calinadas, tanto mais que o autor, Celso Martins, nitidamente enviesado, salienta duas obras sem interesse nenhum e nem refere as mais notáveis, desvalorizando o conjunto que preferia ter sido vendido. Enfim. Não vai ficar em Lisboa.

'Personnages dans la nuit', 1968

Catálogo aqui.



1 comentários :

Virginia disse...

Vou vê-la em breve. Também estava à espera que passasse a moda.

Também se diz os Picassos e os Grecos e os van Goghs....não vejo onde está o crime!! Os Turners....

O Siza está milionário à custa da bacoquice dos povo português. Tem valor, mas está sobrevalorizado.

Obrigada pela informação.