quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

András Schiff na Gulbenkian: um programa quase perfeito



Nesta quinta-feira peregrino a Lisboa, direitinho ao auditório da FCG, para um concerto clássico, mas mesmo muito clássico, com um pianista de excelência - András Schiff - e uma orquestra não permanente, de sua criação e direcção, que é uma incógnita. Já li coisas melhores e piores sobre o desempenho. Pelo menos é uma variante sobre as nacionais.

Cappella Andrea Barca
András SchiffPiano / Direcção

Joseph Haydn, Concerto para Piano, Hob.XVIII:11
W A Mozart, Sinf. nº 38, K. 504, Prague

Joseph Haydn, Sinf. nº.101, Hob.I.101, "O relógio"
W A Mozart, Concerto para Piano nº 23, K. 488


Na verdade tenho mais expectativas sobre a primeira parte - são duas obras pouco tocadas e de que gosto muito; mas exigem uma sensibilidade especial à técnica barroca, que não me parece o forte de András Schiff.

No nº 23 de Mozart, a terminar, espero contar com o seu virtuosimo ao piano. E quem sabe alguma Sonata em extra.

Porquê, Lisboa ? mais uma vez: porque a Casa da Música está um pavor de programação. Não irei lá tão cedo - ainda volto a Lisboa primeiro para a Ana Bolena no S. Carlos.

Schiff e a Cappella Andrea Barca em vídeo promocional:




-----------------------
Se não chover muito, talvez vá dar uma vista de olhos ao MAAT. Os pastéis são ali ao lado...



0 comentários :