quinta-feira, 26 de abril de 2018

O bosque *mágico* da Lagoa das Falcas, com Vinicius e Dickinson


Nunca estive numa lagoa tão bonita. A Lagoa das Falcas (ou das Patas) é uma preciosidade natural na floresta da Serra de Sta. Bárbara, na ilha Terceira.

Talvez seja o meu post fotográfico mais bonito de sempre, assim as fotos transmitam um pouco da magia do sítio - faltam o chilrear, algum chapinar de águas, algum coaxar de rãs, o vento na folhagem das imponentes criptomérias...

Logo à entrada, a escadaria gloriosamente florida parece uma descida à Floresta Encantada.


Entrada para Lothlórien ?


Que fadas, que duendes andam por aqui ?


Azáleas em flor





...
Eu penetrei o atalho, na floresta.
Tudo era força ali, tudo era força
Força ascencional da natureza.
A luz que em torvelinhos despenhava
Sobre a coma verdíssima da mata
Pelos claros das árvores entrava
E desenhava a terra de arabescos.
Na vertigem suprema do galope
Pelos ouvidos, doces, perpassavam
Cantos selvagens de aves indolentes.
A branda aragem que do azul descia
E nas folhas das árvores brincava
Trazia à boca um gosto saboroso
De folha verde e nova e seiva bruta.

...

                                                    Vinicius de Morais



A lagoa foi criada pelos serviços florestais da Terceira; é alimentada pela Ribeira Brava através de um pequeno açude.

A floresta na Serra de Santa Bárbara: criptomérias, cedros-do-mato, faias, acácias.

Musgos centenários, fofos, na base dos troncos castanho-avermelhados das criptomérias. Estas árvores de origem japonesa foram aqui plantadas desde o séc. XIX, em sucessivas campanhas de florestação.


I robbed the Woods —
The trusting Woods.
The unsuspecting Trees
Brought out their Burs and mosses
My fantasy to please.
I scanned their trinkets curious — I grasped — I bore away —
What will the solemn Hemlock —
What will the Oak tree say?

                                                   Emily Dickinson

                        Roubei os Bosques -
                        Os confiantes Bosques. 
                        As insuspeitosas Árvores
                        Tirei-lhes a Casca e os musgos
                        P'ra agradar a minha fantasia.
                        Curiosa, busquei as suas jóias - raspei - levei -
                        O solene Abeto -
                        O Carvalho, que dirão ?



E vamos embora, adeus fadas e elfos.




6 comentários :

Tink disse...

Fui e fiquei...

Pedro disse...

Maravilhoso! Muito bom!

AC disse...

Um post de eleição, onde o emoção do autor se sente a cada passo (foto).
Parabéns!

Mário Gonçalves disse...

Obrigado pela visita e pelas palavras, AC.

MARIA JOSÉ Crista disse...

Querido Mário a INVEJA é um PECADO CAPITAL mesmo assim ARRISCO . . .

Mário Gonçalves disse...

Maria José, :) abraço