quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A Siciliana

Duas Sicilianas do barroco:

Bach: Siciliano BWV 1031, para Piano e Orquestra:


Pergolesi, siciliano para Flauta:

A siciliana é um estilo ou género musical incluído como andamento em peças mais longas, tal como a gigue, a fuga ou a cavatina. Foi estabelecida como género musical nas óperas de Alessandro Scarlatti.

Geralmente é composta em tempo lento e tom menor, com acento melancólico, dolente, ou de lamento.

Além de usada em árias nas óperas barrocas, aparece também como um dos andamentos em obras instrumentais, como as obras citadas de Bach ou Pergolesi, por exemplo.

Evoca um temperamento pastoral, e usa por vezes ritmos sincopados.

Algumas Sicilianas célebres:

Canta Natalie Dessay:

Haydn, oratória A Criação, ária Nun beut die Flur das frische Grün

Canta Lucia Popp:

Mozart, A Flauta Mágica, ária Ach, ich fühl's

Romantismo

Brahms escreveu uma siciliana: a variação nº 19 das Variações e Fuga sobre um tema de Handel, para piano.

Na ópera de Verdi, "As vésperas Sicilianas", a ária de Helena, "Merci, jeunes amies" é uma siciliana célebre, situada no local próprio.

séc XX

Exemplos de sicilianas:

Igor Stravinsky - Serenata da Pulcinella

Gabriel Fauré - a suite de Pelléas et Mélisande também contém uma siciliana muito conhecida.


2 comentários :

Paulo disse...

De ver Lucia Popp a cantar a ária da Pamina fico com um arrepio na espinha.
As outras escolhas também são belíssimas.

Mário disse...

obrigado, Paulo, preciso destes pequenos exercícios para bem da saúde mental - o gosto pela música é gosto pela vida, não acha? :)