segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Albrecht Mayer, a magia do oboé

Na sequência da "Música para um fim de tarde de verão", algumas pequenas e grandes maravilhas para oboé.


Albrecht Mayer (n. 1965, Erlangen) toca oboé na Filarmónica de Berlim desde 1992. Toca como ninguém, e dedicou-se agora em paralelo a uma carreira de solista na companhia da Sinfonia Varsovia.

Sabemos da envolvente doçura do oboé, mas com Mayer há além disso um esfuziante virtuosismo, que evidenciou na recente gravação New Seasons, com árias de Händel transcritas em versão de concerto.

Eis um dueto com Matthieu Gauci-Ancelin (flauta) , descobrindo novas harmonias:



Podemos ver/escutar um muito bom vídeo (não incorporável) do CD New Seasons aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=nm5i6-uZVtI
----- Atenção ao Tornami a Vagheggiar aos 3.01 min. ! Genial...
E para mim o melhor de todos, lindíssimo e vertiginoso:

Agora em Bach, transpondo cravo para oboé !





Albrecht Mayer diverte-se (e diverte-me) nitidamente a fazer estas brincadeiras extraordinárias, que têem o mérito de revelar novas dimensões de obras que são grandes noutra forma; já a gesticulação com que dirige a Sinfonia Varsovia tem espaço para melhorar :D

6 comentários :

Paulo disse...

Como não há-de aquela orquestra ser o que é quando pode contar com músicos deste calibre?
Muito bom, Mário.

Paulo disse...

Referia-me à Filarmónica de Berlim, claro. Mas também podia ser à Orquestra do Festival de Lucerna.

Mário disse...

Não é ? um músico "anónimo", e afinal...

Foi uma revelação, o Mayer.

FanaticoUm disse...

Caro Mário,

Só agora, na sequência da troca de comentários no blogue do Paulo, descobri este seu espaço. Sá me tornei seu seguidor.
Cumprimentos

Mário disse...

Obrigado, meu caro, seja bem-vindo.

Gi disse...

Gosto muito. Obrigada, Mário.

Enviar um comentário