sexta-feira, 6 de julho de 2012

De volta ... à CM

Strauss, Dvorak e Beethoven ontem na CM , dirigiu König:

- Johann Strauss II Marcha de Júbilo para o regresso do Imperador Franz Joseph I, op. 126

- Antonín Dvorák: Concerto para violoncelo e orquestra
- L. van Beethoven Sinfonia nº 3 'Heróica'

Não se percebe o que faz no programa a marcha de J .Strauss. Mas foi tocada com bastante Gefühl vienense.

O Concerto é um tanto desequilibrado, e não é das obras mais inspiradas de Dvorák; ainda assim teve belos momentos no andante, de diálogo entre o violoncelo e as flautas. A parte de violoncelo já é fracota, mas o executante deixou a desejar - definitivamente as intervenções solistas não foram o ponto alto.

A Heróica foi um compromisso razoável. A orquestra tocou ao seu melhor nível, seguindo as opções de König - nem excessivo classicismo interpretativo, nem obediência aos cânones modernos (Gardiner, Harnoncourt, Zinman, Chailly). Conseguiu alguns stacattos de belo efeito, foi aceitavelmente uníssona e fluente; mas os contrastes dinâmicos andaram longe, às vezes o discurso era mais de valsa... os metais muito tímidos, recuados, e a percussão quase ausente, causando uma frouxa rítmica (que nesta obra tem várias vezes parte de leão).

Uma noite bem passada, mas continua a faltar à orquestra (ao director ?) dar aquele salto do "decente" para o "excelente".

5 comentários :

Enviar um comentário