segunda-feira, 29 de abril de 2013

Discos novos a rodar

Aquisições recentes:

Jonas Kaufmann,Wagner

Dono da melhor voz de tenor (e com graves de barítono !) de há anos para cá, Kaufmann excede-se em Wagner. Há trechos que nunca me tinham soado assim magníficos, intensos, cheios.
Para ouvir forte.

N. Angelich (piano), Paavo Järvi,
Brahms, concertos nº1 e 2

As duas obras primas de Brahms - que sem dúvida levaria para a tal ilha, pois contêm o universo. Orquestra e direcção (gravitas q.b.) de primeira água, um portento de dinâmicas. Järvi subiu ao topo dos melhores directores de orquestra. Talvez a 5ª ou 6ª versão na minha colecção...

Colin Davis, LSO
Berlioz - Grande Messe des Morts
live at St Paul's Cathedral, em Junho de 2012

Ah, Sir Davis.
Estive lá, foi gravado comigo lá dentro, tem Londres e a LSO e a reverberação da Catedral, tem aquela direcção fluente e "easy" de Colin Davis -  sem igual.


Capriccio Basel
William Hayes, Concerti Grossi & overtüren
Surprise surprise
William Hayes foi contemporâneo e admirador de Händel, e deixou-se ofuscar por ele (com razão). Neste disco espantoso revela um saber fazer e uma alegria que por vezes não ficam atrás do Mestre. O concerto para órgão é precioso - e melhor que o de Händel.


Sarasate - Music for violin & orchestra
O.S. Navarra, Izquierdo

Virtuose do violino, nascido em Pamplona, Sarasate deixa-se muitas vezes entusiamar pelo fandango e pela técnica que dominava. Mas tem páginas lindíssimas - descobri o Nocturno-sérénade op.45 e passa a vida a tocar em "repeat"... não me canso.

4 comentários :

Virginia disse...

Mário, só lhe falta tocar um instrumento nessas orquestras, tal o seu entusiasmo.

Pena é que os CDs agora sejam tão dificeis de obter, só por correio e eu gosto sempre de os ouvir primeiro. Bons tempos da Fnac em que se podiam ouvir os CDs durante horas.

Vale a pena ir ao Corte Inglês??

Abº!

O 2 de Brahms é a obra mais bela para piano que conheço, incluindo os de Beethoven. Simplesmente genial e tem 4 andamentos!!!:)

Gi disse...

Acordo absoluto em relação ao disco de JK.
Não era o Mário que não gostava de Wagner? ;-)

Mário disse...

Tenho, digamos, "muitos problemas " com Wagner, Gi. Sobretudo com aquele programa ideológico e de propaganda que foi usar os mitos nórdicos para enaltecer a grandeza e o futuro da Alemanha.

Isso não quer dizer que "não gosto" de Wagner, ponto final. Há música dele que está entre as obras primas da humanidade. Gosto muito dos Mestres Cantores, do Navio Fantasma e dos Lieder, por exemplo.

Mas este disco do Kaufmann é quase um "best of" de algo semelhante a árias de Wagner para tenor. Apela à leitura mais básica de Wagner. A voz é superlativa, e nesse contexto o CD resultou magnífico.

Mário disse...

Virgínia,

Sobre o Brahms nº2, estamos de acordo.

Não frequento o Corte Inglês. É longe, de acesso complicado, e caro.

Uso geralmente o amazon.de (alemão) que não cobra taxa de envio.

Enviar um comentário