domingo, 18 de agosto de 2013

Árvores: uma Zelkova Carpinifolia no Parque


Em dias de semana deste verão, o Parque da Cidade continua a ser um refúgio irresistível, sobretudo pela entrada das trazeiras.


Junto ao café-esplanada que funciona na eira da antiga quinta, o Meet, há um belo exemplar ainda jovem de uma árvore que me chamou a atenção: uma Zelkova - como vim a saber pelo Tiago, que me serve bons cafés e não só - e que passou a minha árvore "de estimação". Ao longo das estações gosto de acompanhar como se vai vestindo, pois também há modas sazonais do reino vegetal.

Nativa das montanhas do Cáucaso, a Zelkova Carpinifolia é conhecida também por Ulmeiro-do-Cáucaso, embora sem relação com os Ulmeiros.


De tronco grosso e curto, divide-se a pequena altura em grandes ramos ascendentes que se alargam para compor uma copa redonda e densa.

A folha, lanceolada e dentada, com penugem e aveludada ao toque, é muito bonita, sobretudo na primavera, de um verde claro e tenro.

No outono, a folhagem dourada é deslumbrante; depois, despida, a Zelkova faz lembrar uma vassoura invertida. Quando lá chegarmos, aqui mostrarei.

Sendo uma árvore ornamental muito recomendável, quase não é cultivada em Portugal, o que é estranho dada a sua resistência e longevidade, e o facto de estar declarada espécie ameaçada.


Mas há sempre mais que ver no parque.

0 comentários :

Enviar um comentário