quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Ave Maria de Bruch, triste como os tempos que correm


[dedicado a uma Ucrânia livre e em paz]

Parece música a gotejar, ou a escoregar lentamente pelo vidro da janela.
Um especialista do violoncelo lacrimoso, Max Bruch. Faz chover dentro quando chove fora.

Obra de 1892, esta Ave Maria para violoncelo é sem palavras. Com muita sabedoria, Bruch constrói um crescendo em ciclos e contraciclos, até o climax - aos 6:58 - retomado depois em conclusão.



Max Bruch - Ave Maria para Violoncelo e Orquestra op. 61 
Julius Berger - violoncelo
Orquestra N.R.S da Polónia
dir. Antoni Wit

1 comentários :

Virginia disse...

Tão melancólica....linda.

Enviar um comentário