terça-feira, 13 de maio de 2014

Bach segundo Siloti: prelúdio em Si menor


Provavelmente é a melhor obra que Alexander Siloti (1863-1945) compôs na sua carreira. Pianista russo, Aleksandr Ziloti de seu nome, nasceu em Kharkiv (actual Ucrânia) e estudou piano em Weimar, com Franz Liszt, e depois em Moscovo. No fim do séc. XIX fez uma reputada tournée pela Europa e pela América, e em 1901 conduziu a Filarmónica de Moscovo na estreia do nº 2 do seu amigo Rachmaninoff. Os concertos de Siloti eram eventos culturais muito frequentados e noticiados. Nomeado para o Teatro Mariinsky, os acontecimentos posteriores a 1917 levaram-no a emigrar para Londres e depois Nova Iorque.

Este Prelúdio é um arranjo para piano do BWV 855a de J.S. Bach, que figura no 'Pequeno Livro de Teclado' (W. F. Bach), e reutilisado pelo próprio no 'Cravo Bem Temperado'. Siloti transpõe o original de Bach da mão esquerda para a direita e desce de Mi menor para Si menor. O que em Bach era uma figura de 8 notas de fundo passa a ser enfatizado como linha melódica principal, na mão direita.O resultado é uma música mais melancólica e vagamente "repetitiva", que soa quase moderna, um pouco ao estilo de Einaudi ou Mertens.

Toca Robert Preston
:

Gravação histórica: Emil Gilels, romântico...

A partitura original, mas em piano, por Glenn Gould, seco:

Finalmente, o mais próximo do que Bach compôs, bem mais exuberante !



Em resumo: não conseguem deixar de brincar com a música de Bach. É uma tentação.

0 comentários :