terça-feira, 6 de maio de 2014

Excelência inclusiva: os mentirosos slogans educativos


Não sei se ainda é eduquês, mas o discurso ideológico educativo continua uma vigarice pegada.

Basta ver, nesta terça-feira, o suplemento "exlibris"  do Público, com a propaganda das escolas para atrair alunos.

O mais frequente é a "procura da excelência", o "compromisso com a excelência". Não pode haver espaço para tanta excelência em Portugal ! Acho que nem na Finlândia... Tanto mais que sabemos como foram formados os professores, na melhor das hipóteses na pobre mediocridade que reina por toda a parte. Mas mesmo que "procurem" excelência, ela será sempre um mito, de que só os extraordináriamente capazes e perseverantes se aproximarão. Nunca a excelência para todos, inclusiva, e logo na Trofa, ou em Albergaria-a-Velha ... o ridículo mata. Mas mata mesmo - como pode um ensino "de excelência" ser baseado na mentira ?

Outro slogan para risota e/ou indignação é a "cultura de rigor e mérito", tudo junto com a "inclusão", claro. A não ser que queiram salas vazias, só podem estar a mentir. E a "escola inclusiva, exigente e desafiante" ? Haverá maior inmpossibilidade no Universo ?

Um slogan em uso nas empresas da moda é "o sucesso dos clientes é o nosso sucesso". Pois eu gostaria que as escolas apregoassem "o insucesso futuro dos nossos alunos é o nosso insucesso". Isso sim, seria falar verdade.

Pelo menos, que passassem a publicitar uma escola que garante um nível mínimo "decente" para quem for capaz, se esforçar e empenhar - ou seja, que ao menos não se desperdicem capacidades -  já não era nada mau. E era bem mais credível.

Foi o que eu tentei sempre fazer. A "excelência" só pode vir por acréscimo - e com alguma sorte.



1 comentários :

Virginia disse...


Concordo a 100% e parece-me estar a ler o Graça Moura.....

Todos nós, profs , sabemos que é uma minoria que atinge os objectivos de excelência ou aquilo a que queiram chamar sucesso. O sucesso nas escolas secundárias, aliás, nada tem a ver com o sucesso futuro, cada vez mais são necessários complementos de experiência, conhecimento das línguas ( essencial a meu ver), inteligência crítica, que a nossa escola inclusiva é incapaz de fornecer, fechada que está nas 4 paredes da sala de aula e do seu mundinho pedagógico.

Felizmente, os meus filhos e netos sairam do sistema e foram para um colegio internacional. É elitismo, será, mas pelo menos a exigência é real , a competição também e o rigor pautado pelo ensino doutro país europeu.

Agora os meus netos são ter a experiência americana por um ano e ainda vão abrir mais as asas...

Não gosto de criticar os professores, mas tive estagiários que nunca passariam um exame de português rigoroso.....sem falar de exames psicotécnicos!!

Boa semana!