terça-feira, 6 de maio de 2014

Excelência inclusiva: os mentirosos slogans educativos


Não sei se ainda é eduquês, mas o discurso ideológico educativo continua uma vigarice pegada.

Basta ver, nesta terça-feira, o suplemento "exlibris"  do Público, com a propaganda das escolas para atrair alunos.

O mais frequente é a "procura da excelência", o "compromisso com a excelência". Não pode haver espaço para tanta excelência em Portugal ! Acho que nem na Finlândia... Tanto mais que sabemos como foram formados os professores, na melhor das hipóteses na pobre mediocridade que reina por toda a parte. Mas mesmo que "procurem" excelência, ela será sempre um mito, de que só os extraordináriamente capazes e perseverantes se aproximarão. Nunca a excelência para todos, inclusiva, e logo na Trofa, ou em Albergaria-a-Velha ... o ridículo mata. Mas mata mesmo - como pode um ensino "de excelência" ser baseado na mentira ?

Outro slogan para risota e/ou indignação é a "cultura de rigor e mérito", tudo junto com a "inclusão", claro. A não ser que queiram salas vazias, só podem estar a mentir. E a "escola inclusiva, exigente e desafiante" ? Haverá maior inmpossibilidade no Universo ?

Um slogan em uso nas empresas da moda é "o sucesso dos clientes é o nosso sucesso". Pois eu gostaria que as escolas apregoassem "o insucesso futuro dos nossos alunos é o nosso insucesso". Isso sim, seria falar verdade.

Pelo menos, que passassem a publicitar uma escola que garante um nível mínimo "decente" para quem for capaz, se esforçar e empenhar - ou seja, que ao menos não se desperdicem capacidades -  já não era nada mau. E era bem mais credível.

Foi o que eu tentei sempre fazer. A "excelência" só pode vir por acréscimo - e com alguma sorte.



1 comentários :

Virginia disse...


Concordo a 100% e parece-me estar a ler o Graça Moura.....

Todos nós, profs , sabemos que é uma minoria que atinge os objectivos de excelência ou aquilo a que queiram chamar sucesso. O sucesso nas escolas secundárias, aliás, nada tem a ver com o sucesso futuro, cada vez mais são necessários complementos de experiência, conhecimento das línguas ( essencial a meu ver), inteligência crítica, que a nossa escola inclusiva é incapaz de fornecer, fechada que está nas 4 paredes da sala de aula e do seu mundinho pedagógico.

Felizmente, os meus filhos e netos sairam do sistema e foram para um colegio internacional. É elitismo, será, mas pelo menos a exigência é real , a competição também e o rigor pautado pelo ensino doutro país europeu.

Agora os meus netos são ter a experiência americana por um ano e ainda vão abrir mais as asas...

Não gosto de criticar os professores, mas tive estagiários que nunca passariam um exame de português rigoroso.....sem falar de exames psicotécnicos!!

Boa semana!

Enviar um comentário