quarta-feira, 2 de julho de 2014

Cancelas do Barroso e quadros de Nadir


Fui finalmente a Boticas visitar o Centro de Artes Nadir Afonso, coisa decidida já há largos meses.

Na viagem , optei por subir ao Barroso por Cabeceiras de Basto, saindo para Alturas, Vilarinho Seco e Boticas pela N311.


Tive sorte. Fui brindado com um belo dia de sol, estrada bordada de plantas e arbustos floridos, campos de searas já crescida muito dourada, terrenos encerrados pelos lindos muros de pedra transmontanos e cancelas de madeira.



A floresta é sobretudo de carvalho, castanheiro e cedro, para variar da monotonia de pinheiros e eucaliptos.
A estrada, num bom piso cinzento claro, serpenteia no planalto de pedras e árvores com uma graça que se integra na decoração campestre.


Do Centro de Artes não vou falar muito.


A arquitectura magnífica e premiada já foi abundantemente divulgada, e na verdade a luminosidade interior é primorosa. A exposição é relativamente pequena, embora com algumas das melhores obras dee Nadir. Claro que me deliciei em particular com este pequeno guache 'Boticas':


Ainda nem tudo está a funcionar em pleno, o horário não contempla domingos, e o hotel ao lado ainda não abriu, pelo que a oferta de alojamento e restauração em Boticas é fraca. Em contrapartida, não faltam espaços floridos e  ajardinados.

Espero agora pela abertura do Museu de Chaves.


4 comentários :

Enviar um comentário