sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Música para a rentrée : Platti, Touchemoulin, Bernstein, e mais...


Já fazia algum tempo que não recebia uma remessa de novos CDs, e estava mesmo a precisar. Necessidades que não o são, é hábito construído, mas sabe bem.

Vieram, de Platti, os Concerti Grossi , pela Akademie Fur Alte Musik (2008):
O barroco no seu melhor.

De Touchemoulin, concertos e sinfonias pelo agrupamento barroco Les Inventions, dir. Patrick Ayrton (2008):
Ouçam só esta delícia:


De Bernstein, uma selecção de recriações orquestrais de William David Brohn com Joshua Bell ao violino e a Philarmonia dirigida de forma retumbante por David Zinman:
A West Side Story suite (2001) é particularmente bem conseguida, irresistível, e Joshua Bell exibe o seu virtuosismo enriquecendo ainda mais o arranjo de Brohn.

E uma gravação recente de 2012 de Leif Ove Andsnes à frente da Mahler Chamber Orchestra: os concertos de piano nº1 e nº3 de Beethoven como nunca foram ouvidos, intérpretes de excepção e interpretações não consensuais, algo surpreendentes, que fantástica execução !
Beethoven cristalino como água de fonte, imperdível, sobretudo nº 1. Este fica a rodar muito tempo :)

Aposta mais arriscada, este Motherland (2014) de Khatia Buniatishvili, a pianista-revelação da Geórgia:
CD muito eclético: Bach, Tchaikovsky, Mendelssohn, Brahms, Dvorák, Scarlatti, Grieg, Handel, Pärt... se calhar vou arrepender-me. Já estou meio.

--------

Em extra, ainda, um livro usado que recuperei da minha juventude - será o tal síndroma que dá aos idosos de quererem rememorar a infância ?
É o Grichka! Grichka et son Ours ! Li em português, mas agora quero o original.

Primeira página portuguesa, da editorial Notícias.

---------
Um dia destes chegam as sinfonias de Brahms que a Gramophone premiou. Expectativa...

0 comentários :

Enviar um comentário