quinta-feira, 19 de março de 2015

aimable, joyeuse et jolie



« Pour moi un tableau doit être une chose aimable, joyeuse et jolie, oui jolie ! Il y a assez de choses embêtantes dans la vie pour que nous n’en fabriquions pas encore d’autres. »
                   Renoir


Curiosamente, estou mais disposto a apreciar coisas desagradáveis, deprimentes, grotescas ou chocantes na literatura do que noutras formas de arte. No cinema também - Leviathan não é propriamente "aimable". Mas música e pintura, para mim, só valem pela beleza.

2 comentários :

Gi disse...

Pois eu estou um bocado Renoir, Mário: não sou voluntária para ver/ ler/ ouvir/ sentir formas de arte feias, desagradáveis ou deprimentes.
Excepto se forem muito boas, e há-as.

Mário Gonçalves disse...

Ler, Gi? Lá se vai todo o Dickens, Conrad, Banville, muitos mais...

No cinema, ia todo o Fellini, Leone... e o cinema português todo, mas essa era justa causa :D

Enviar um comentário