domingo, 9 de agosto de 2015

Ana Hatherly, Porto, 1929-2015



 



Discursos que são poemas visuais com ritmos vários, linhas de pontas que se soltam numa escrita ritmada como sismogramas das ondas de interioridade.


O mar que se quebra


0 comentários :