quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Os fatais 23, e a silly season no auge.



Tenho verificado que com alguma frequência o número de visitas a um novo post aqui no Livro  'empanca' nos 23. Às vezes nunca mais dali sai, outras vezes só passado muito tempo lá vem mais uma visitinha.

Claro que há também posts que chegam a centenas de visitas (o sucesso mais recente foi o das Marés Vivas de Março com 300 e tal), ou passam até do milhar, como o do Arminho ou o de Paul Klee, mas o número 23 tornou-se numa ameaça - quando lá chega, receio que nunca mais aumente. É 'psicológico'.

Então resolvi que a medida de sucesso ou fracasso de um post está no limiar 23. Suponho que deve ser o número real dos seguidores mais fiéis, esses com quem posso sempre contar, obrigado !, muita simpatia vossa !, se calhar até estou a dar por garantido o que não devia, mas o que eu gostava mesmo era de ter por cá ainda mais alguns...

Numerologia nunca foi coisa que me interessasse. É quase tudo balela de videntes, quiromantes, adivinhos e astrólogos. Mas pus-me à procura de coisas sobre o 23.

Matemática: é o 9º número primo, e é o primeiro primo ímpar que não tem gémeo : há os gémeos (3, 5), (5, 7), (11, 13), (17, 19), (29, 31), (41, 43), (59, 61), (71, 73), (101, 103) ... mas o 23 está isolado, porque nem 21 nem 25 são primos..

Ainda Matemática, levezinha: só quando um grupo de pessoas atinge 23 elementos é que a probablidade de dois deles fazerem anos no mesmo dia atinge 50% ou mais. Curioso. É uma alta probabilidade, com tão pouca gente, mas é assim.

Química: é o número atómico do Vanádio : duro mas maleável, cinzento-azul prateado. Abunda em certos cogumelos.

Biologia: as células sexuais humanas têm 23 cromossomas; o sangue demora 23 segundos a dar a volta ao corpo humano; corpo esse que tem 23 vértebras ! Quando bem se procura o 23, sempre se encontra !

Biografia: Shakespeare nasceu a 23 (?) de Abril, e morreu a 23 de Abril. Ena.

História: Alexandre o Grande tinha 23 anos quando cortou o nó górdio; César foi apunhalado 23 vezes; os Templários tinham 23 Grão-Mestres.

Tretas: o Enigma 23

William S. Burroughs, o escritor, foi o primeiro crente deste 'enigma'.
A história: Burroughs conheceu um dia um tal Capitão Clark, cerca de 1960, em Tânger, que se vangloriava de ter navegado 23 anos sem um só acidente. Nesse mesmo dia, o navio de Clark afundou-se e toda a gente morreu afogada. Além disso, enquanto Burroughs pensava no exemplo cruel de ironia dos deuses, um boletim de notícias na rádio anunciava a queda de um avião comercial na Flórida. O piloto, capitão Clark, estava aos comandos do Vôo 23.

Daí à criação do 'enigma' foi um passo: o número 23 há-de estar sempre ligado a qualquer tragédia ou cataclismo.
- Para uns, apenas sucede que quando muito se cisma numa coisa (23) e acontece     uma desgraça, algum sinal dessa coisa (23) acaba sempre por aparecer, e    
  revelar-se misteriosamente premonitório. Já deu um filme.
- Para outros, o 23 tornou-se sinal de 'está na hora de desandar daqui/disto
  enquanto é tempo'.


É o que vou fazer para não escrver mais disparates.



-------------------
P.S. no momento em que escrevo, o post anterior, o do jardim, alcançou 30 visitas. Um sucesso.


6 comentários :

Virginia disse...



Gostei, não sabia que 23 era assim tão importante ha História!! Onde foi buscar toda essa informação?
Os blogues não se medem pelas visitas, mas pelos conteúdos. Há uns que até têm 1000 visitas, mas os leitores querem é bajular o bogger e mostrar-lhe que estão muito contentinhos na so bolha de sabão.
O seu blogue não é para todos...requer paciência, tempo, vontade de conhecer mais, gosto pela cultura e pela música. Daí haver quem rejeite a sua leitura.
Uma vez ia fazer uma sessão para profs e só apareceram duas pessoas pois era à hora de almoço. Fiz a sessão na mesma.
Abraço

Mário Gonçalves disse...

Obrigado, Virgínia.
Uma das fontes é um livrinho precioso, oferta estimável, para quem gosta de números:

Les nombres remarquables
François le Lionnais
ed Hermann

Gi disse...

23 visitantes para mim já são um luxo, Mário.

Mário Gonçalves disse...

Pode tentar ter um pouco mais, Gi; não vejo que partilhe os posts no Google+, pode também registar-se no Blogs Portugal, postar o link no Twitter...

Talvez uma meia dúzia mais de visitantes apareçam.

Mas como diz a Virgínia, poucos é bom, sem exagero, claro.

Fanático_Um disse...

Mário, eu sou um dos fieis seguidores, com quem pode sempre contar. Porquê? A resposta está neste seu último "post" a propósito do 23! É sempre uma fonte de prazer e de informação visitar o seu blogue e degustar o que se cá lê/Vê. E não sou seguramente do que querem bajular o blogue, como bem referiu a Virgínia a propósito de blogues que têm milhares de visitas. Devo esta descoberta à Gi, outra blogger que sigo fielmente. Mesmo que o seu blogue não seja para todos, para mim é um dos melhores que visito e onde sempre encontro informação que me enriquece, mesmo quando muito distante dos meus interesses habituais.

Mário Gonçalves disse...

Fiquei corado mas contente, Fanático_Um, muito obrigado.

Enviar um comentário