sexta-feira, 18 de setembro de 2015

'Buona Ventura', de Caravaggio, e la graziosa zingarella


No século XVI estava-se em pleno Renascimento e o culto dos clássicos dominava em Itália: pintar modelos, só da mitologia e das narrativas greco-romana e hebraica. Caravaggio não ia muito nessa onda , o que lhe valia várias opiniões desfavoráveis; e entre outras 'provocações' foi buscar esta cigana na rua entre a populaça para ler a sina a um jovem cavaliere seu amigo.

Buona Ventura, de Caravaggio.

Acontece que - à parte os frescos, claro - este foi o mais belo quadro que pude ver em Roma, na Pinacoteca Capitolina. A zíngara tem uma beleza e atrevimento que condizem com a nobreza e altivez dos traços do jovem; parecem prestes a ficar enamorados. Mas a marota está, ao mesmo tempo que lhe lê a mão, a surripiar-lhe o anel dos dedos... e ele, ingenuamente enfeitiçado, nem dá conta.

Só se soube desta marosca com os dedos depois da observação do quadro com alta tecnologia moderna - o mau estado da tela nada revelava


Podia ser uma cena da Commedia dell'arte, muto popular nas ruas de Roma em 1592, quando Caravaggio lá chegou vindo de Milão. O quadro foi pintado entre 1593 e 1595, e deve ter sido corajoso e inovador para a época.


Uma jóia de retrato, esta zingarella: a blusa e o turbante ajudam a retratar o exotismo da rapariga, e o seu sorriso é um tratado de psicologia feminina. Uma Gioconda de Caravaggio.


Um contraste divertido com as mãos de deus e do filho homem no tecto da Sistina. Estas são mãozinhas humanas e maliciosas.

Riqueza nos detalhes:


Infelizmente, e não consegui saber porquê, Caravaggio fez uma segunda versão em 1595, que está no Louvre; mais bem desenhada de mãos e roupagens, sim, mas a cigana é quase vulgar, inexpressiva, talvez friamente calculista, e o ingénuo cavaliere é um adolescente apatetado. A malícia foi-se. Um desconsolo.



2 comentários :

Gi disse...

Muito engraçado ver e comparar as duas versões. É bem verdade que a primeira é muito mais interessante. A razão para a segunda? Talvez alguma encomenda, não?

Fanático_Um disse...

Muito interessante e, com os pormenores realçados, ainda melhor.

Enviar um comentário