quinta-feira, 7 de abril de 2016

Parem, parem enquanto é tempo !
[Les vols Paris-Téhéran et autres]


Alguns factos da capitulação europeia:

1 - A 16 de Março, num jantar de estudantes da conhecida London School of Economics, havia mesas separadas: uma para rapazes, outra para raparigas, as mesas isoladas por uma painel gigante que impedia a vista de uma para a outra. Havia estudantes muçulmanos no grupo.

2 - Em Agosto de 2015, o trabalhista Jeremy Corbyn propôs carruagens de metro separadas só para mulheres. Agora, uma companhia de combóios alemã anuncia que terá carruagens reservadas para mulheres.

3 - Também na Alemanha, três faculdades viram-se obrigadas a encerrar as suas salas de oração (também para que é que as têm ?) porque muçulmanos radicais obrigavam à segregaçao entre homens e mulheres.

4 - Numa escola de Basileia, Suíça, dois alunos muçulmanos recusaram cumprimentar a professora com um aperto de mão, como todos os outros, à entrada da sala - hábito escolar generalizado no país. A direcção da Escola, receosa do crime de "exclusão", aceitou a excepão para os dois figurões, que se ficaram a rir. A autarca local está contra, e vai tentar ganhar o processo.

5 - A direcção da Air France impôs, nos novos voos para Teerão a partir de 17 de Abril, que o vestuário feminino seja calça preta e casaco amplos (folgados), e ainda lenço islâmico assim que saiam do avião. Lá se vai a alta costura e Yves Saint Laurent, sacrificados a burkinis e hijabs.



Entretanto, a Air France 'cedeu': só vai nos voos para Teerão quem quiser. Ah ah.

6 - A economia muçulmana vive um enorme crescimento com a importação para a Europa da sua unicamente admissível 'carne halal': só para França, são entre 5,5 e 7 milhares de milhões de euros por ano em importações 'halal' !
[Le Figaro, 4-4-2016]

Pois eu tinha três sugestõezinhas para reduzir a imigração muçulmana e diminuir as comunidades islâmicas na Europa para dimensões aceitáveis.

    Um, proibia lenços islâmicos, chadors  e gurkas, a sua venda e a sua
    importação.
    Dois, proibia qualquer tipo de segregação ou discriminação, fosse onde fosse,
    entre homens e mulheres, e em particular nas mesquitas.
    Três, embargava totalmente a carne ´halal´ e proibia a sua venda. Não falta
    peixe para fundamentalistas.

E se quisesse ser MESMO mauzinho, ainda obrigava a que todos os WC públicos (incluindo hotéis) passasem a ser unisexo. E os vestiários das lojas.

Sempre foi assim: quem pede asilo em casa alheia é que tem que se habituar aos costumes da casa. E se é exigido lenço na cabeça para os voos Paris-Teerão, a Air France, que  ainda é parte da República Francesa, devia dizer: ah bon ? Pas de jupes, pas de vols, alors ! Et vos chadors précieux, mettez-les où mieux vous plaira. Y'a plein d'autres destinées de vol.


Isso sim, seria promover a honra da República, e não a submissão aos negócios.


3 comentários :

Enviar um comentário