terça-feira, 3 de julho de 2018

A Ilha do Tesouro existe: São Niniano (St. Ninian´s Island)


A descoberta já tem seis décadas, entra agora aqui porque eu nunca antes tive dela notícia: imagine que é estudante de arqueologia, vai participar numas escavações, e ao levantar uma pedra encontra... uma caixa de madeira - um cofre ! E lá dentro...

Entre as escocesas Ilhas Shetland há uma mui pequenita, ligada à Shetland grande por um arco de areia; não só esse arco (tômbolo é a designação própria, ayre em nórdico) é uma maravilha natural, como foi na sua encosta do lado poente, sob as ruínas de uma capela, que foi desenterrado o tesouro.

A ilhota chama-se Saint Ninian, um santo escocês muito venerado nos primeiros séculos da nossa era (séculos V a X, depois da retirada dos Romanos), e a quem os Pictos dedicaram dezenas de capelas num extenso roteiro do Norte ao Sul da Escócia.

St. Ninian é uma ilhota acessivel por um arco de areia junto à aldeia de Bigton (Shetland)

O tômbolo forma uma dupla praia de areia branca, entre duas encostas rochosas cobertas de vegetação rasteira (turfa). A marca indica o local do tesouro.

Os Pictos, tribos aparentadas aos celtas que resistiram valentemente à invasão romana mas não à cristianização, trataram de espalhar capelas e criar santos no Nordeste da Escócia. Mas pelo sim pelo não, não fosse o deus cristão deixá-los mal, continuaram a enterrar os seus mais preciosos haveres, hábito que tinham em comum  com os Vikings de além-mar (Noruega e Islândia), justamente os seus mais perigosos inimigos.

Em 1958, durante uma jornada de arqueologia da Universidade de Aberdeen, o jovem estudante Douglas Coutts encontrou sob uma laje marcada com uma cruz, que teria pertencido a uma capela celta agora em ruínas, restos de um cofre de madeira contendo 28 peças em prata. Joalharia Picta - broches, taças, dedais, várias decorações preciosas de espadas e baínhas - talvez enterradas para escapar às frequentes incursões dos temíveis Nórdicos pelo final do séc VIII.

A escavação decorreu sob uma laje neste sitio de uma capela celta do séc. XII, frente à baía de St. Ninian. A capela está protegida por uma cerca, com painel interpretativo.

Mapa do tesouro: a igreja (restos) e Bigton, ligados pelo tômbolo.

O tesouro Picta de St. Ninian

As peças foram datadas de cerca de 750-825 A.D..

As peças de prata e prata dourada encontram-se mo Museu Nacional da Escócia, em Edimburgo; mas existem réplicas de alta qualidade expostas localmente no bonito museu de Lerwick.

Uma bela colecção de pequenos broches (6-7 cm) penanulares, com alfinete, alguns ainda com conta de vidro encastrada.

As imagens seguintes estão muito ampliadas.


Nos broches mais bem trabalhados, vêem-se decorações geométricas e cabeças de animais estilizadas.

Decoração de baínha de espada.

Belíssimo trabalho de joalharia.

Decoração de baínha de espada.

Uma das cabeças mais famosas de tesouro, ainda com a conta de vidro.

Dedais.
Desenhos em espiral tripla, talvez de origem anglo-saxónica.

Pomo de espada.

A requintada taça - para banquetes ou ritos ?

Cerca de 14 cm de diâmetro.



------------------------------------------

O tômbolo de St. Ninian oferece duas praias surpreendentemente diversas devido às correntes e aos ventos.





Como ilha do tesouro, não está nada mal. Mas eu ia para lá a correr mesmo sem tesouro.

Vídeo aqui.

0 comentários :