sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Em defesa de Antonio Salieri

(e um programa de fim-de-semana...)

É difícil ouvir obras de Salieri, e difícil arranjar gravações dele com boa qualidade. Por qualquer razão que me escapa (a má fama que o filme lhe deu?) nenhum agrupamento barroco se lhe dedica, como a Hasse, Telemann, Locatelli ou Pergolesi. Ora é a este nível que situo Antonio Salieri - não será genial, mas não lhe falta técnica, talento e criatividade.

Na altura, eram as suas muitas óperas que faziam sucesso; mas na música sinfónica há trechos bem bonitos e obras bem construídas. Com paciência para uma qualidade sonora medíocre, ouçamos:

1º Da sinfonia em Ré maior, "Il Giorno Onomastico"

- o muito lindo larghetto, lembra vagamente Vivaldi ou Handel:



- o minuetto /trio, impecável composição de sonoridade mozartiana:



- o esfuziante allegretto, com um belo pizzicatto:



2º Do concerto em Dó maior para flauta e oboé, uma das suas melhores composições:

- o largo:


- o allegretto:


Gravação recomendada: o CD com as sinfonias e o concerto pelo Lukas-Consort dirigido por Viktor Lukas, para a Concerto Bayreuth, em 1990. Sempre é mais límpido que estes youtubes. Só se consegue em segunda mão.

A terminar, I Solisti Veneti  dirigidos por Claudio Scimone ao vivo no largo do mesmo concerto:


1 comentários :

Virginia disse...

Música mística, muito suave...
Gosto imenso.

Realmente o Amadeus matou a imagem do Salieri para todo sempre...injustamente. Aliás o actor que lhe deu vida ganhou um óscar merecidíssimo!

Vou continuar a ouvir...e a beber chá!
Bom domingo!