quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Surpresa siberiana !

Eu bem digo que é destes lados, mais que da China, que se anuncia o futuro...

MusicAeterna and The New Siberian Singers:


Ouvi hoje na Radioclassique.fr e fiquei siderado. Nunca se ouviu um Requiem assim...

O coro russo é um espanto, a direcção de orquestra perfeccionista e rendilhada de Currentzis uma delícia ou um pavor, conforme os gostos :)







Os musicAeterna foram fundados em Novosibirsk, a terceira (e feia) cidade da Rússia, pelo excelente director grego Teodor Currentzis, mas mudaram para a mais bela e culta Perm onde se impuseram como primeira orquestra do estado de Perm.

Curiosamente, Perm é a última cidade europeia antes dos Urais...

Dados biográficos e discográficos aqui:
Já agora: uma bela prenda de Natal...

9 comentários :

Xico disse...

A execução é irrepreensível. A leitura é, no entanto, estranhíssima. Se gosto? Não sei. Fiquei sobretudo encantado com a beleza do som, quer do coro quer da orquestra. Mas acho que, apesar de tudo, não gosto da leitura.

Mário disse...

Obrigado, Xico.

Duplo choque, também para mim: encanto com a animAeterna, choque e pavor com a direcção de Currentzis.

Mas aconteceu mais uma vez como com Harnoncourt: à terceira audição já fiquei rendido. Não é mainstream, é mesmo muito infringidora de cânones, mas também sedutora!

Há muito não ouvia uma interpretação que trouxesse uma leitura de facto nova. Não será a referência, mas uma alternativa refrescante.

Virginia disse...

Mário:

O seu blogue é uma alegria nestes tempos deprimentes em que as notícias que correm levariam o mais optimista a querer acabar com a vida, se ela não lhe fosse tão cara.

Aprendo, oiço, adoro, fico extasiada perante estes excertos que aqui pôe gratuitamente para quem quiser ouvi-los. Este blogue é um espanto.

Não, não estou fishing for compliments, don't get me wrong!

Abº e obrigada!

Mário disse...

ena !

O primeiro guardanapo ficou a pingar... :D
Já ganhei o dia !

A sério, faço o que posso e gosto, mas é gratificante saber que alguém partilha. Acredite porém que sou muito menos criativo que a Virgínia - nem as fotos, nem sobretudo as lindas pinturas que faz estão ao meu alcance. E tenho tido a sorte e o gosto de as ver quando publica.

Parabéns e thank you so, so much! !

Virginia disse...


Gosto da leveza deste requiem, habituada que estou a ouvir umas orquestras pesadas a tocar Mozart como se fosse Beethoven.

Não percebo muito de música em termos técnicos, mas esta interpretação empolgou-me. Talvez não seja bem um requiem, mais um Messias, mas soa-me bem aos ouvidos!
Obrigada.

Mário disse...

Muito bem dito, Virgínia

Paulo disse...

Conforme os gostos, um pavor (obrigado por ter avançado com as respostas à escolha). Não tenho mais palavras.
(Mas obrigado por nos ter dado a conhecer o disco.)

Mário disse...

Ah Paulo, dê-lhe outra chance...

Pouco espiritual, nada comovente, e nada romântica, certo; nada a ver com o que Mozart teria como cânone, certo; contudo há ali uma delicadeza e sensibilidade "antiga" e "russa" que me seduz.

Paulo disse...

Darei...

Enviar um comentário