quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Pur ti miro: a beleza da voz

Poucas obras dão um arrepio tão forte com a audição da voz humana cantando. Pur Ti Miro, uma ária de L'Incoronazione di Poppea de Monteverdi, são 4 a 5 minutos sublimes de arte vocal. Vale a pena ouvir várias interpretações, tão diferentes conforme quem canta, quem dirige, quem encena.

Um par insuperável nesta aria-duetto de Monteverdi:
Danielle de Niese e Philippre Jaroussky
Foi em Espanha, Teatro Real, 2010


A versão de Harnoncourt (1974), a primeira integral com instrumentos de época:
com Rachel Yakar e Eric Tappy, já lá vão quase 40 anos !...


Outra versão vocalmente fenomenal:
Mireille Dunsch e Anne Sophie von Otter
Festival de Aix-en Provence, 1999


René Jacobs (1990) não é para todos os gostos:
Patricia Schumann e Richard Croft



De novo Jaroussky mas com Nuria Real (2009)
Uma versão incrível do grupo Arpeggiata, com introdução instrumental. Autenticidade radical ?


Pur ti miro,
Pur ti godo,
Pur ti stringo,
Pur t'annodo,
Più non peno,
Più non moro,
O mia vita, o mi tesoro.

Io son tua...
Tuo son io...
Speme mia,
dillo, dì,
Tu sei pur,
speme mia
L'idol mio, dillo, dì,
Tu sei pur,
Sì, mio ben,
Sì, mio cor,
mia vita, sì.

(da capo)

1 comentários :

Virginia disse...

Tenho ouvido o contra-tenor no Mezzo e no Brava e admirado a pureza da sua voz. Não conhecia a soprano, mas são os dois excepcionais. Os tempos estão tão harmoniosos... é um privilégio ouvir cantar assim...

Obrigada, Mário!