sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Viver abaixo das possibilidades, crime maior

Que se gaste mais do que se deve, é problema menor de tesouraria; agora que se gaste "mal e porcamente"...

A lista de maiores vendas de livros em Portugal é angustiante. Como é possível que se gastem tantos 15€ e 20€ em porcarias como as 50 Sombras de Cinzento, em porcarias-quadráticas como sequelas desse mesmo evitável lixo literário, e em porcarias-cúbicas como obras do José Rodrigues dos Santos. São esses que andam nos tops, semana após semana.


É para isso que se defende a leitura? Não, tenham paciência, mais vale não ler do que perder tempo com lixo impresso. Vale tanto como ver o Fashion TV, a Praça da Alegria ou estar horas à conversa no Facebook.



Não entendo. Andam famílias a gastar aos 50€ mal gastos, quando há tanta coisa imperdível e barata por aí - os clássicos, para começar, em reedições baratas, mesmo os clássicos populares. Se querem malandrice, vão ao D. H. Lawrence. Se querem aventura esotérica, à Ilíada, ao Asimov, ao Borges, ao Eco.

O problema maior dos portugueses não é viverem acima das possibilidades; é viverem abaixo.

E é problema deles - não há troika nenhuma que imponha esse auto-infligido pacto de agressão.


P.S.  
É verdade que o exemplo vem de "cima": o Acordo Ortográfico é um bom exemplo de como o poder gasta dinheiro em lixo, disponibilizando uma língua mais pobre a que os 'Rodrigues dos Santos' aderiram entusiasticamente.

4 comentários :

blographo disse...

O problema é que para estar actualizado nas tais conversas do facebook é preciso estar a par das 50 sombras, do Rodrigues dos Santos, do Paulo Coelho e da Rebelo Pinto. Os clássicos não se discutem aí. Nem nas escolas, ou não os têm tirado dos programas?

Isso não é peste da Troika, verdade, mas também não é exclusivo português. Exemplo:
http://www.amazon.co.uk/Bestsellers-Books/zgbs/books
Por isso não me parece justo pisar a nacionalidade por isto, o problema vai muito para lá dela.

Virginia disse...

Mário,

Tem toda a razão.

Penso que o nível da maioria das pessoas é baixíssimo. Muitas nem sequer lêem os livros que referiu. Já uma vez comentei o facto dum suposto bestseller não me interessar minimamente, apesar de estar em primeiro ou segundo no top da Leitura.

Li tantos clássicos na FLUL....às vezes tenho saudades dessas maratonas de leitura que acabavam por me apaixonar. Ler Holderlin, Chamisso ou Goethe, mesmo em edição franco-alemã da Aubier era uma aventura.

Na escola é terrível. Os jovens só querem é falar de jogos , de música rasca, de telemóveis, etc.

Livros??? Nem vê-los.
E música clássica? Nem pensar!

Anime-se, eles não desapareceram, há sempre bibliotecas , alfarrabistas e até kindles, onde se podem ler.

Post muito inteligente e realista.....

Abº

Gi disse...

Ou: há mais sado-masoquismo soft-core na(s) nossa(s) sociedade(s) do que imaginamos ;-)

Mário disse...

Sado-masoquismo soft-core, boa, Gi, deve ser isso mesmo :D

É que os leitores-de-lixo gostam MESMO de ler lixo.