quinta-feira, 16 de julho de 2015

Ainda a noite inaugural do Festival Schleswig - Holstein (SHMF)



O concerto a que me referi no post anterior abria o festival de música clássica do estado mais a norte da Alemanha, o Schleswig-Holstein, once ficam Kiel e Lübeck.

Decorre em Julho e tem como orquestra principal a Sinfónica da NDR ( Norddeutscher Rundfunk, a de Günter Wand ) mas também a jovem orquestra de Lübeck, que quer conquistar melhor estatuto no panorama alemão.

O MUK, que lembra os nossos pavilhões multiusos, deixa a desejar.

Houve discursos, de que não percebi uma palavra, e um monumental beberete com petiscos no foyer, um grande salão circular na estrutura de caixote barato que é o MUK (Musik und Kongresshalle).


(devo referir a excelência das mini-quiches e dos vinhos; mas passou-me pela cabeça a dúvida se não estaria ali uma parte da dívida grega).


Parco de aplausos na primeira parte (Mozart, o K466, pelo pianista polaco Piotr Anderszewski) o público foi também parco de ruído: três tosses e um espirro, e foi tudo.

Mas toda a gente estava ali à espera do 'seu' Brahms. Foi superlativo, e o maestro Thomas Hengelbrock foi chamado ao palco cinco vezes no aplauso final, suponho que é bem bom, tudo sem úúús nem um único espectador de pé. Bem me apetecia, mas confesso que também não quis dar nas vistas...



A NDR Sinfonieorcheter e o seu titular Thomas Hengelbrock deram-me a melhor 2ª de Brahms que ouvi ao vivo. Vielen dank.



0 comentários :