terça-feira, 2 de outubro de 2018

Catedral românica de Lund, obra de dimensões inesperadas na Suécia medieval



Não será o mais bonito dos grandes templos do Românico europeu; mas é surpreendente, pela gandiosidade e pelo belíssimo relógio astronómico, encontrar esta catedral numa pequena cidade do sudoeste da Suécia. Tudo sinais do despertar para a civilização desta região sob domínio dinamarquês, pouco antes saída da cultura Viking. A maior influência terá vindo de Lübeck e de Speyer, na Alemanha.


Construída em calcário local a partir de 1103, quando Lund ascendeu a arcebispado - Portugal ainda não existia... - foi sendo modificada ao longo das várias épocas e estilos - do românico ao gótico (abóbadas) e neoclássico. Dedicada a S. Lourenço, deve ter sido aberta em 1145.


As torres são recentes, da década de 1860. As várias tonalidades da pedra vão do cinzento escuro ao rosado, criando um efeito estranho de mosaico de pedra.
Quando o sol ajuda, o lado sul da catedral é uma das esplanadas favoritas para os lundenses.

Lund tornou-se um centro de peregrinações em toda a área. Como já mostrei, as rotas vindas de várias direcções cruzavam-se aqui, na que er conhecida como Catedral de St Laurentius.
 


O cadeiral do côro ainda é o original de 1350-60, em carvalho das florestas da área. A estátua em bronze de S. Lourenço (S:t Lars ou Laurentius), padroeiro de Lund, é mais antiga - ca. 1240, Hildesheim - e uma das obras de arte mais valiosas.
Lindíssima imagem medieval de S. Lourenço


O século XIV trouxe muita riqueza à Catedral: o altar e o relógio.


O tríptico do altar foi oferta de uma dama rica da nobreza da Dinamarca, em 1398.


Já o chamativo painel de mosaico na abóbada da ábside, a imitar igrejas italianas, é moderno, de 1927. Curiosamente, S. Lourenço também era padroeiro dos Medici...


O relógio astronómico


Começado em 1380, foi sendo completado durante décadas. Para além de medir o tempo tem um calendário de eventos religiosos e outro de eventos astronómicos - posições do Sol, Terra e Lua, conjunções...

Era conhecido como "Horologium Mirabile Lundense".

De novo S. Lourenço (Laurentius) ao centro.

O relógio toca "In dulce jubilo" às 12 e às 15 horas.

No século XVIII a catedral estava num estado de decadência profundo, à beira da derrocada. Sucessivos restauros alteraram muito toda a ábside, o altar e o órgão, e só durante o século XIX os extensivos trabalhos nas paredes e no chão, e a construção de novas torres no lugar das torres medievais, deram à catedral o seu aspecto actual.

Elementos neo-clássicos dos retauros oitocentistas.


Lund tem muito mais para dar; mas preciso de tempo, talvez publique até ao fim do mês.
A Catedral (1) está rodeada de um jardim, o Lundagård, que é o centro vital da cidade; estão lá o edifício central (11) e outras secções da Universidade, o Museu Histórico (5), e o excelente Kulturen (8) de que 'falarei' um dia destes.


0 comentários :