quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Sortes e azares, privilégios que até nem são

Terei eu sorte por morar a 5 min. de Serralves e 10 min. da Casa da Música? Parece que sim , à primeira vista é um privilégio. Quem dera a muita gente. É o cúmulo querer o Quai d'Orsay ou o Concertgebow ao lado de casa...

A dimensão, o protagonismo, a projecção nos media de Serralves e da CM estarão ao mesmo nível da qualidade da programação, quando comparados com os congéneres de outras cidades europeias? Não falo do espaço físico -magnífico, superlativo - mas apenas da programação. Não há uma itinerância artística relevante que passe pelo Porto. O Porto não está em tournée nenhuma de seja quem fôr . O Porto só conta com prata da casa. Ora era bem melhor termos uns museus pequeninos, como os da Suíça, ou velhinhos, como os de Praga, que até estão incluídos em itinerâncias de primeira grandeza; e salas de concerto modestas, como em Graz ou Bergen, onde passam intérpretes primeiros da actualidade.

Os 10 min. até à Casa da Música vão afinal proporcionar-me até final de 2010 ... muito pouco. Mesmo. - como agora se diz :(

É uma programação abundante, muito variada e em brochura de luxo, bom papel, cores e impressão. Tal como a Casa, invólucro de muitíssmo boa qualidade. Mas quem temos para ouvir? Do barroco ao contemporâneo, sempre os mesmos intérpretes "da casa". Não há dinheiro para convidar ninguém , gasta-se todo .... na Casa ! A Casa fecha-se , sem portas nem janelas, contente de si, investindo em si.

Longe de mim, claro, depreciar a ONP ou a OBCM ou o Remix. Tenho muito gosto neles, desejo que tenham todas as oportunidades de se aperfeiçoar e se fazer ouvir. Mas 48 concertos da ONP, é obra ! e de fora, só da Galiza - a orquestra Filarmónica Real, uma noite. É pouquíssimo. E a Midori, com a ONP. Muito Mahler ? Sim, mas com a ONP sempre. Handel ? com a ONP. Mozart, Beethoven, Ravel ? ONP. Convenhamos que cansa e não educa o público a ouvir outras sonoridades. Antes tivesse uma casa mais modesta e baratinha cheia de vida cosmopolita.


A programação da CM para 2010 é TRISTE. Muito abundante e variada- mas TRISTE.

Tenho sorte por morar a 10 min. da Casa da Música? Não me venha ninguém dizer que menos sorte tem porque mora em S. Miguel de Baixo, ou porque não ganha sequer para a sopa. Porque, evidentemente, tem toda a razão.

Eu é que não me consolo com a minha....sorte.

6 comentários :

Moura Aveirense disse...

5 e 10 metros (m)? Ou 5 e 10 minutos(min)? É que não me lembro da Casa da Música e de Serralves distarem 15 metros uma da outra ;) Pois é, compreendo exactamente o que diz... eu vou contentando-me com os Festivais de Outono, que têm sido muito bons, por sinal (pelo menos os concertos que tenho assistido).

Mário disse...

Viva Moura, gosto em tê-la por cá.

Minutos, claro . Já rectifiquei, obrigado.

Já vi o seu entusiasmo com as sessões no DeCA, gostava bem de ter pantufas que me levassem a Aveiro.

Ouço muitas vezes os discos do Pinho Vargas, que tão pouco passam na rádio...

Saudações dupuarto.

Gi disse...

Engraçado: quando aprendi, minutos também se escreviam m, assim como segundos se escreviam s. A não ser que fossem minutos e segundos de grau, claro.

Fora isso, compreendo bem o lamento, Mário.

Mário disse...

Gi,

É verdade, também aprendi assim, mas quando se presta a confusão...

Obrigado pela compreensão. Ainda este f.d.s o concerto da ONP foi uma tristeza, mal preparado, mal dirigido (Yves Abel), Mozart e Haydn empastelados de morte. Não resisti ao bocejo. Triste...

Moura Aveirense disse...

Ver aqui ;)

(no comentário anterior não ficou o link completo)

Mário disse...

Moura,

Obrigado, fiquei esclarecido.