segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Almada Negreiros, (1) retratos de mulher


A exposição de Almada Negreiros na Gulbenkian é imperdível, nunca tinha visto a obra plástica de Almada mostrada com esta dimensão e cuidado, e mesmo assim ainda lá faltam outros quadros de igual valor. Há muito que dizer, muito já foi dito e escrito, aqui vou só colocar uma abordagem minha a um detalhe que achei valer a pena focar - a maneira como Almada retrata a mulher.

Não sendo o rosto pintado uma especialidade sua, é magnífico o rosto desenhado em traços minimais, geométricos, ou então estilizado em Art Nouveau, ou mesmo quase a lembrar Matisse. A variedade de estilos e técnicas espantou-me.

Vou mostrar detalhes de quadros, seguindo uma ordem próxima da sua exposição no Museu. Começo por esta preciosidade bem conhecida, num óleo decorativo para a Alfaitaria Cunha (1913):


Almada tinha 20 anos, a 'Arte Nova' entrava tardiamente em Portugal. Progressivamente, o desenho vai-se geometrizando e depurando, enquanto Almada adere entusiasticamente à vanguarda modernista (Orfeu, 1917). Mas será depois das estadas em Paris e Madrid, e já com Sarah Afonso, que ele mais evolui gráficamente.

O estudo para a Engomadeira é de 1938:


'A Engomadeira', 1938, óleo sobre tela

De 1944, este óleo 'Sem Título'

A bailarina de "Arlequim, Bailarina e Cavalo", de 1953, que foi recentemente vendido em leilão:


'Lendo Orfeu 2', de 1954: linhas e planos de aproximação a Picasso, aos 61 anos !



São muito bonitas as gravuras riscadas em vidro, já da fase mais tardia:


Em 1963, Almada tem 70 anos, e a arte mais depurada que nunca.

(excepto a mão, aquela mão que nunca evoluiu...)

Mas é deste retrato de Sarah Afonso (grafite sobre papel, 1938) que mais gosto; estava muito mal exposto na FCG, cheio de reflexos no vidro, por isso coloco a minha foto e outra tirada da net:



Aqui o pintor está em plena maturidade criativa, bem conhecedor dos seus limites mas com inspirada ousadia. Maravilha.



----------------------------------------------------------------
Para ter uma ideia do que faz falta na exposição:
https://www.pinterest.se/fabioavidal/jos%C3%A9-de-almada-negreiros/

- A seguir: (2) quadros dentro do quadro


2 comentários :

Táxi Chuvoso disse...

Especialmente bela,a Bailarina também muito perto de Picasso na fase cubista :)

Mário Gonçalves disse...

Sim, sim. Verde e lilás ! uma vizinhança improvável...

Enviar um comentário