terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Ler e Reler: Seda, de Alessandro Barrico


Seda, de Alessandro Baricco

Estamos no séc XIX, numa cidade francesa enriquecida com o negócio da seda. Nas viagens de ida e volta ao Japão para comprar os casulos, o protagonista (pacato homem de negócios sem horizontes) descobre um mundo de fascínio e paixão, que contrasta com a sua vida medíocre. Cada expedição é uma repetição, um eterno retorno, sempre terminada com a esposa que o espera pacientemente. Repetem-se parágrafos inteiros, diálogos, criando um contexto bizarro, em que tudo se concentra num gesto, num olhar. 'Seda' é sobretudo uma história de sensações, e como elas alimentam a memória e a linguagem, por vagas sucessivas, como o mar.

Numa escrita de elegante e depurada simplicidade, um pequeno e leve romance onde a emoção está toda em matizes, em palavras que não são ditas. E um belo documento de História ficcional, também.

(Lido em francês)

Outros livros anteriormente relidos:

O Golpe de Misericórdia, de Margueritte Yourcenar

A Aventura Maravilhosa, de Aquilino Ribeiro

Shroud, de John Banville

O Jogo das Contas de vidro, de Herman Hesse

Um Outro Mar , de Claudio Magris

Ondine, de Friedrich de la Motte-Fouqué

A Invenção de Morel, de Bioy Casares

Um Deus Passeando Pela Brisa da Tarde, de
Mário de Carvalho

"An Equal Music", de Vikram Seth

O Castelo dos Cárpatos , de Jules Verne

0 comentários :