terça-feira, 27 de março de 2012

O super - Festival

Lucerna tem desde há muito o melhor dos festivais de música clássica, IMHO. Outos terão melhor programação, e sobretudo terão ópera, que em Lucerna falta; mas não há melhor sítio nem altura para assistir a todas as estrelas actuais do universo musical concertante.

Acabo de receber o programa em papel para este ano, ano de crise dizem, e eis uma amostra, longe de exaustiva:

Claudio Abbado, claro, Bernard Haitink, Mariss Jansons, Simon Rattle, Phillip Herreweghe, Valery Gergiev, Franz Welser-Möst, Pierre Boulez, Lorin Maazel, Vladimir Jurowski, Ricardo Chailly - nos directores de orquestra. Falta quem ?

Ao piano, Murray Perahia, Maurizio Pollini, Pierre-Laurent Aimard, Radu Lupu, Helène Grimaud.

Nas vozes, Anna Larson, Sara Mingardo, Bernarda Fink, Cecilia Bartoli, Anja Harteros, Elina Garanča, Jonas Kaufmann, René Pape...

Seria mais fácil fazer uma lista de ausentes.

Já na programação, não é uma ano que me atraia particularmente. Dominado pela 8ª de Mahler (de que não gosto), obras de Gubaidulina, muito Schoenberg, e algumas interpretações no mínimo estranhas - até tremo de pensar em Helène Grimaud a tocar o 1º concerto de Brahms ! Brrr.. - , terá como pontos altos Haitink com a Filarmónica de Viena ( e Perahia) e Chailly com a Gewandhouse de Lepizig.

Eu, este ano, contento-me com Londres e Veneza, em vôos e estadia baratos, e bons concertos acessíveis. Se tudo correr bem. Só tenho "pena" que a Maria João Pires, no Barbican, já esteja esgotada. E que o La Fenice ande muito por baixo em qualidade e muito por alto em preços.

5 comentários :

Gi disse...

Alguma ópera tem, Mário. Mas o que eu gostava de assistir àquela Missa de Requiem!

Mário disse...

Solistas germânicos de sonho, sim, mas Baremboin a empastelar... passo. E passo a Alla Scala também.

Virginia disse...

Nunca fui a um festival.....
Em tempos estive para ir ao de Edimburgo, mas desisti à última da hora.

Em Munique, onde fui mais de 15 vezes, durante anos ia sempre a concertos sobretudo no Advento, mas nunca a festivais. Nem sequer a estes no CCB.
Acho que não tenho muita coragem de assistir a concertos todos os dias, prefiro ir espaçadamente a alguns especiais.

Ouvi Os Planetas de Holst em Leeds ano passado numa actuação com documentário das galáxias, que me entusiasmou. Tb gosto de algumas coisas da CdM.

Curioso que tb não gosto do Baremboim....

Abº

Mário disse...

Também nunca frequento mais que 3 concertos, até porque sai caro. Mas além de podermos seleccionar várias coisas que valem a pena numa estada de poucos dias, há o ambiente...

Gosto muito do festival de Edimburgo, cidade incluída, mas a escolha é bem mais restrita.

O meu sonho é Glyndebourne...

Virginia disse...

O meu comentário pode parece Ah mas são verdes....não é. A minha família vai toda - mesmo toda - a festa da Musica no CCB - tb moram lá perto - e eu nunca me apeteceu andar a correr de sala em sala a ouvir música como se fosse um circo.
Aprecio cada vez mais o sossego dum local restrito com pouca gente, ambiente calmo e muito silêncio na sala. Odeio as tosses e os telemóveis e gosto de fechar os olhos quando oiço a música :))

Mas entretanto já marquei voo para Londres em Julho onde encontrarei a minha filha e voltaremos juntas para o Porto. Irei à AArts ver os Hockneys da colecção!aa