sexta-feira, 30 de março de 2012

Pós vermelhos do deserto ? que seca !

Estou com sono, muito sono, quase não consigo manter os olhos abertos. Ainda agora fui ali tomar mais um café e tentar ler o jornal, mas caí de bruços em cima da página 5 com o sono, tanto sono.

Isto porquê? Há 3 dias, quando voltava de manhã a casa justamente depois da leitura matinal, tive um ataque alérgico como nunca. 20 ou 200 espirros, o nariz como uma torneira aberta. Foi preciso chegar aos 60 para uma crise destas. Sejam as poeiras do Sahara ou os pólens dos carvalhos, a verdade é que sucumbi.

Como não sou asmático, o que eu precisava mesmo era de um anti-histamínico, rápido. Milagre: hora e meia depois da Cetirizina, estava curado. E veio a sonolência.

No dia seguinte, findo o efeito, começo outra vez a pingar. Nova dose, e estou para aqui pareço um zombie. Nariz sequinho, mas cabeça tonta, tão tonta. Não consigo ouvir música nem fazer um post de jeito.

Por isso vou socorrer-me de coisas em arquivo, e nada de música, até ver. E dormir a sesta, uma longa sesta.

4 comentários :

Virginia disse...

Para escrever um Livro de Areia, é natural que seja necessário inalar alguns grãos do deserto:)))


As melhoras rápidas! E vá dormindo que ainda é a coisa melhor do mundo em tempos de crise!
Abº

Gi disse...

Mário, tome a cetirizina à noite. Julgo ser aliás o que está na bula.
Ou mude para a desloratadina (= Aerius). Talvez não seja tão eficaz, mas não dá sonolência.

Mário disse...

Obrigado, Virgínia.

Dr ª Gi, não posso tomar Aerius, esse dá-me uma pedrada que nem me levanto.

Mas já me aliviei um pouco; o ar está mais fresco e leve, também.

Muito bom fim de semana (x2) !

Gi disse...

Muito curioso, Mário. Idiossincrasias!
As suas melhoras.

Enviar um comentário