terça-feira, 7 de julho de 2009

Heróica DiDonato ! História de uma premiére absoluta...

Vai ficar para a História o Barbiere di Siviglia em cena no Royal Opera House/Covent Garden; e não só pela direcção de Antonio Pappano ( que também está ao cravo a fazer o contínuo !, e mesmo assim ao que dizem conseguiu "reinventar" a partitura!), pela Rosina de Joyce DiDonato , O Don Basilio de Ferriccio Furlanetto , o Almaviva de Juan Diego Flórez (5 min de ovação de pé), o Bartolo de Alessandro Corbelli - um cast de sonho que só por si me faz chorar de pena de não poder assistir a uma récita que fosse !
Mas... ópera é drama,não é? Pois aconteceu ! Na estreia a 4 de Julho, a pobre DiDonato, logo no 1º Acto, a seguir ao genial Una voce poco fa, tropeçou (??), a perna cedeu, caiu, levantou-se com uma cara esquisita e continuou - tinha acabado de partir a perna !!!

Tinha fracturado a fíbula e anda agora com a perna engessada. Parece que dá dores inacreditáveis, ao ponto de provocar desmaios. Ninguém percebe como aguentou as 3 horas que faltavam da peça sem gritos nem ambulância. No final, longa ovação de pé , uma récita de arrepiar.
Substituída nas restantes récitas? Nem pensar ! Mesmo contra a vontade dos médicos ( a lesão obriga a descanso , sem peso sobre a perna ) , insiste em ir actuar - de cadeira de rodas! Inédito ! É evidente que já não há bilhetes para ninguém. Muito mais, e fotos, em

Pela mão da própria, no seu blog, vale a pena ler o bom humor da senhora:
"From here on out, I declare that no one (please!) ever ever ever wish me again: "BREAK A LEG".

Mais , no site da ROH:

NOTA: a récita de 15 de Julho vai ser transmitida para fora de Covent Garden. Talvez nalguma TV britânica também.


4 comentários :

Paulo disse...

De uma coragem inegável! Tenho um amigo que vive em Londres e vai assistir a uma das récitas.

Moura Aveirense disse...

The show must go on! :)

Alberto Velez Grilo disse...

Bem, além de ser dos melhores Mezzos da actualidade a DiDonato é também uma mulher com esta fibra.

Excelente "post" Mário.

Já agora já ouviu algum dos elementos deste elenco ao vivo?

Um abraço

Gi disse...

A Joyce é extraordinária. E; Alberto, eu já tive o privilégio de a ouvir ao vivo :-) embora ainda não numa ópera.