quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Os melhores do ano, aqui neste meu Livro.


Tudo quanto é jornal e revista elege os seus melhores do ano, mais estrelas menos estrelas, listas para compra e oferta "segura", como se tal houvesse.

Desalinhado com o gosto padrão dos "críticos", aqui fica o meu gosto - muito parcial e enviesado, claro - em escolhas aos pares, muitas delas já aqui referidas ao longo do ano.

Uma espécie de prenda de Natal.
-----------------------------------------

Filmes do Ano :

'Leviatã'
de Andrey Zvyagintsev

O autor de O Regresso, The Banishment e Elena é talvez o maior cineasta do nosso tempo - dizer "génio" parece-me adequado. Mais aqui.

O Regresso a Casa
Zhang Yimou
Serena melancolia também na China, filmada por um esteta da elegância e do colorido. Mais aqui.

- menção especial para o melhor filme de animação, O Conto da Princesa Kaguya, de Isao Takahata, emocionante e épico.

Discos (CD) do ano :

Haydn, sinfonias nº 31, 70, 101
Robert Ticciati com a Scottish Chamber Orchestra


Leif Ove Andsnes
Beethoven, concertos nº 2 e 4 para piano

É o 3º volume da "Beethoven Journey" de Leif Ove Andsnes - e mantém a mestria de piano e de orquestra que fazem destes 3 CDs uma primeira escolha. À Mahler Chamber Orchestra cabe parte do mérito.

- uma menção especial para a 9ª de Bruckner de Claudio Abbado com a Lucerne Festival Orchestra, formidável e arrebatadora.

Livros do Ano :

A obra que mais gosto me deu ler este ano foi "A Noite dos Tempos" de René Barjazel, publicado em 1968. Quanto a livros publicados em 2015, deixaram marca estes :

Windows of the World
50 autores, The Paris Review
com desenhos de Matteo Pericoli
      
Belíssimos textos, ilustrados com cuidado e inspiração, ou vice-versa.

O Meteorologista
Olivier Rolin
      
Fundamental para perceber "aquilo tudo" que lá se passou. Triunfo dos Porcos, 1984, Gulag, um imensurável crime que é costume menorizar. Para mais, escrito com elegância e (relativa) contenção.

Aconselho o original em francês, porque esta tradução é em mau acordês.

BD
Não passei a vista por nada que se compare a

      
La Lune est Blanche
François e Emanuel Lepage
Aqui escrevi sobre ele.


Museu do Ano

Dos que visitei, fiquei extasiado neste:


Villa Farnesina, Roma



É de ir a correr.


1 comentários :

Virginia disse...

Obrigada pela partilha.

Vi o Regresso e adorei. Muito bom.

Só li um livro: o Windows of the World, que tenho em Kindle e que tem a vantagem de poder ver os desenho do tamanho que quero....

O resto ficará para mais tarde....